FOTO: ARQUIVO/JORNAL IBIÁ

Na tarde desta segunda-feira, 27, o prefeito Kadu Müller assinou novo decreto municipal que volta a restringir as atividades empresariais em Montenegro. A reabertura do comércio na cidade tinha sido autorizada no dia 16 de abril, mas contrariava o decreto estadual que manteve as restrições nos municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre.

É um recuo diante da abertura de expediente no Ministério Público que poderia se tornar uma ação civil pública ou ação criminal pelo não cumprimento das determinações do governador Eduardo Leite. “Nós estamos nos antecipando para não ter essas ações, porque, aí, ficaria difícil de rever qualquer situação”, justificou Kadu.

O decreto municipal, agora alinhado com o estadual, mantém restritas as atividades das empresas até esta quinta-feira, dia 30. O governador já adiantou que as novas regras, a partir de maio, vão ser definidas de acordo com diferentes regiões e tipos de empreendimentos. E a própria divisão das regiões deve ser diferente, levando em conta as estruturas de atendimentos e a velocidade de propagação do novo coronavírus. A expectativa é que, dentro deste sistema, Montenegro não faça parte do mesmo grupo da Região Metropolitana de Porto Alegre, como é agora.

“Eu espero que o Estado nos dê a possibilidade de avaliar o decreto dele ainda na quinta-feira de manhã para a gente poder adequar a situação do Município”, colocou o prefeito Kadu Müller. Ainda não há informações sobre como Montenegro será tratado no novo modelo de distanciamento social no Rio Grande do Sul.

Até o dia 30, voltam a só poder abrir em Montenegro as empresas que realizam atividades essenciais e as que sejam necessárias para manter as atividades essenciais. Em linhas gerais, as regras não diferem das estipuladas anteriormente, quando as lojas estavam fechadas. Todas as indústrias seguem autorizadas. As tele-entregas também são liberadas; e as retiradas em loja ficam restritas a itens de alimentação, saúde e higiene. Prestadoras de serviço sem atendimento ao público podem operar, bem como a construção civil.

Os profissionais da beleza seguem com autorização, desde que sigam todos os protocolos de cuidado estipulados no início do mês, quando a atividade foi autorizada. Há exceção no decreto atual para o funcionamento de restaurantes, que poderão seguir atendendo seguindo as regras recentes: abrem das 8h às 20h, lotação reduzida a 30%, distanciamento de dois metros entre pessoas e disposição de protetor salivar nos serviços de buffet.

Ao anunciar o novo fechamento à comunidade, em live no Facebook, Kadu disse que toma a decisão com tristeza. Ele agradeceu o empenho dos empresários, que seguiram as regras durante os dias abertos; e criticou o governo do Estado por manter as restrições sem analisar as particularidades da cidade. “Não entendem o que é a verdade de cada Município”, lamentou. As empresas devem obedecer a determinação a partir desta terça-feira, 28 de abril.

Deixe seu comentário