Luis sabe da importância que Aparecida tem na vida de sua mãe

Padroeira. Maior presente que o filho dará à mãe será em forma de emoção

Nossa Senhora Aparecida é uma das grandes manifestações de fé do Brasil. Além das graças alcançadas através de sua intervenção, sendo assim alicerce emocional para milhares de devotos, ela tem forte ligação com a família brasileira. Sua presença mantém os elos entre os entes, que inclusive peregrinam juntos à Basílica Nacional em Aparecida, no estado de São Paulo. Pois esta será a jornada da dona de casa Venucia Maria Closs, que no próximo dia 22 parte de Brochier, na companhia do filho Luis Roberto Closs, ao encontro da Santa que guia sua vida.

Família é a maior benção concedida por Aparecida à dona Venucia

A idosa de 70 anos recorda que foi apresentada à Padroeira do Brasil pela avó Maria Alvina Kirsten, que todos os dias se ajoelhava e unia as mãos aos pés de uma imagem. “Isso era rezado o terço a cada santo dia”, enfatiza, embora admita que observasse aquele ritual sem saber ainda quem era Aparecida. A mãe de Venucia, Maria Alminda, faleceu quando ela tinha 10 dias de vida. Assim, foi dona Maria que lhe criou, repassando este legado de fé.

Por isso Venucia não hesita em se declarar “muito devota desde criança”. Ela recorda que sua infância foi uma época em que se orava antes de cada refeição; e este ambiente Católico criou nela o hábito de diariamente se dirigir à Nossa Senhora para rogar proteção e agradecer pelas graças alcançadas. “Eu me criei assim”. Neste mês de outubro mesmo ela cumpre uma novena em gratidão por uma melhora de saúde.

Perguntada sobre o que Aparecida já havia lhe concedido, a mãe orgulhosa declara que os filhos Luis Roberto, 35 e Paulo César Closs, 29, são, certamente, as duas maiores graças que recebeu. “Eles são tudo para mim. Minha única riqueza”, definiu. Existe um terceiro milagre, mas isto, como é normal, é apenas entre devota e padroeira. Mas ver ao seu lado esposo, filhos e noras com saúde já são motivos suficientes para todos os dias Venucia rezar seu Terço e aos domingos ir à Missa.

Simplesmente é “uma força”
A fé em Nossa Senhora Aparecida foi herdada pelos filhos, e sintetizada através da admiração pela mãe e a consciência da importância que a Padroeira tem para ela. Então Luis Roberto, radialista conhecido como “Luia”, começou a planejar uma surpresa como presente de aniversário: levar sua mãe aos pés da imagem original.

Para isso, dedicou inteiramente o lucro de um evento que realizou com sua personagem Dona Heda à compra de duas passagens em uma excursão que parte da região. A entrega foi durante a comemoração dos 70 anos, eternizada em um vídeo na internet no dia 1ª de agosto.

Primeiro leu uma calorosa dedicatória ressaltando a mãe como exemplo. Depois, pediu para dona Venucia finalizar o texto, onde a própria leu que o filho a levaria ao encontro da protetora de sua família. Luia pensa que isso seria melhor do que uma festa. Também pensou na satisfação dele em estar ao lado da mãe e testemunhar sua emoção.

“Estou esperando a cada hora. Rezando a Deus para ter saúde naqueles dias”, descreveu Venucia sobre a expectativa. Mas a devota não teve palavra alguma para ao menos tentar projetar o que sentirá quando estiver diante da imagem original no Santuário Nacional. Disse somente que apenas na hora saberá que tipo de sentimento será desperto. A imensidão deste sentimento não cabe em palavras, tanto que ela resumiu o significado que tem Nossa Senhora Aparecida na simples expressão “uma força”. E esta força acaba por ser também característica de Venucia.

Primeira reuniu 30, e em 2018 já foram mais de 100 motociclistas Arquivo: Jornal Ibiá

Procissão de Motos chega a sua 15ª edição
A Comunidade Nossa Senhora Aparecida, na localidade do Faxinal, realiza as principais homenagens em Montenegro. Entre as celebrações, a Procissão de Motos é o diferencial, que em 2019 chega a sua 15ª edição. Ela reúne condutores de motos que usam o veículo para trabalho, lazer e dia a dia. A procissão motorizada foi ideia do padre Diogo José Werner durante os dois anos que esteve na cidade.

“Sou motociclista há muitos anos. Adoro moto”, enfatizou já no início da entrevista. Aos 42 anos e atualmente na Paróquia de Portão, ele conta que o veículo de duas rodas é um hábito e sempre que pode passeia pela região. Padre Diogo observa que, em geral, uma procissão tem a conotação de ser a pé para contemplar todas as pessoas. Todavia, geralmente este percurso é curto.

Então ele pensou em celebrar Nossa Senhora Aparecida com algo maior, ideia que logo teve apoio e adesão pois era uma vontade da Comunidade no Faxinal. O religioso explica o significado da Padroeira do Brasil ressaltando a devoção nacional que recebe. “É a fé na Mãe de Jesus Cristo, que também se torna assim nossa Mãe intercessora nossa junto de Deus”.

Diogo ressalta ainda que sempre nos momentos limite da vida a fé se torna mais forte. Essa máxima se adequa bem ao “ser motociclista”, que, em uma tese direta, significa viver constantemente no limite. “Portanto, ter fé é extremamente importante”. A 15ª Procissão de Motos será domingo, com concentração e partida às 8h30min, na praça Rui Barbosa. Com a chegada na Capela acontece Missa, ao meio-dia almoço e a tarde o baile.

Aparecida para mudar a fé
Foi em 1717 que uma imagem simples e quebrada transformou a fé dos brasileiros, recebendo o título de Padroeira do Brasil. Os pescadores João Alves, Felipe Pedroso e Domingos Garcia foram encarregados de conseguir peixe para o banquete que a Vila de Santo Antônio de Guaratinguetá iria oferecer a Dom Pedro de Almeida e Portugal, o Conde de Assumar, governador da Província de São Paulo e Minas Gerais. Após várias tentativas sem sucesso, acabaram içando das águas escuras do Rio Paraíba uma imagem de Nossa Senhora: primeiro o corpo e, em seguida, rio abaixo, a cabeça; ambas escurecidas pelo efeito do tempo. Depois disso aconteceu algo que atribuíram à ‘a ação da Mãe de Deus’, quando suas redes trouxeram quantidade abundante de peixes.
*Fonte: Portal https://www.a12.com/santuario

Deixe seu comentário