Em 2018, Tok de Bola bateu na trave contra o Peludos na decisão. Hoje, mais um confronto montenegrino decide o campeão da categoria Força Livre. Foto: arquivo Ibiá

Futebol de areia. Torneio define os vencedores das categorias Sub-20, Municipal e Força Livre

Deportivo e Esperança disputam o título local neste ano

Chegou a hora de conhecer os campeões da maior competição de beach soccer do Vale do Caí. Nesta sexta-feira, a partir das 20h, a Copa Bohemia de Futebol de Areia de Maratá define seus vencedores, na arena localizada no Parque da Oktoberfest. O primeiro campeão sai do embate entre Porto e Internacional, pela categoria Sub-20. Na sequência, Deportivo e Esperança decidem a categoria Misto Municipal. Por fim, às 21h, um duelo montenegrino define o título da Força Livre.

Os jovens de Porto e Internacional chegam à final da Sub-20 com a moral elevada, após semifinais de tirar o fôlego. A gurizada do Porto eliminou o Caian’s Steak House ao vencer por 3 a 2. Já o Internacional superou o Real Madruga na outra semifinal pelo placar de 2 a 1. Promessa de confronto muito equilibrado nesta noite.

A decisão da categoria Municipal é uma das mais aguardadas pelo público. Não apenas por envolver equipes de Maratá, mas por serem dois finalistas de muita qualidade, que demonstraram um ótimo futebol nas areias marataenses durante o torneio. Um dos destaques do Esperança, o atleta Wagner Erig projeta uma final parelha nesta sexta. “Nos enfrentamos duas vezes no campeonato e foram dois jogos muito disputados. A final não será diferente. Estamos preparados para encarar o bom time do Deportivo”, afirma.

Goleiro e capitão do Deportivo, Mateus Henrique Joner acredita que a mescla entre jovens e atletas experientes tem sido fundamental para a grande campanha do Deportivo na Copa Bohemia. “A expectativa é grande. O Deportivo é um time criado por jovens aqui de Maratá. É nossa primeira final na categoria Força Livre. Antes disso, chegamos em finais nas categorias Sub-15 e Sub-20. Como é uma categoria mista, contamos com a experiência dos veteranos, e isso foi essencial para chegarmos à decisão”, ressalta.

Decisão da categoria Sub-20 abre a noite de finais em Maratá

Domínio montenegrino na categoria principal
Em 2018, duas equipes de Montenegro fizeram a final da categoria Força Livre. Na ocasião, o Peludos levou a melhor sobre o Tok de Bola. No ano passado, o anfitrião Maratá superou os montenegrinos do Casa da Borracha/RM Contabilidade e ergueu a taça. Em 2020, novamente dois times de Montenegro disputam o título da competição: os tradicionais Chelsea e Tok de Bola.

Comandado por Marcelo Garcia, o Chelsea eliminou o Baumcar-Tricolor nos pênaltis na semifinal, após um eletrizante empate em 3 a 3 no tempo normal. O treinador garante que o time chega tranquilo à decisão. “Esse foi um dos poucos campeonatos que não nos preparamos, entramos para descontrair o grupo. Tratamos a final como um jogo normal, sem compromisso, mas já que chegamos, vamos tentar ser campeões. Estamos com o grupo completo”, salienta.

Depois de bater na trave na final de 2018, o Tok de Bola vai em busca do título inédito esta noite. O técnico da equipe, Alexandre Kerber, analisa a atual edição do tradicional torneio. “Foi um campeonato bem diferente dos anos anteriores, com menos equipes. Quando se tem um certame com menos times, é muito mais difícil, porque a margem de erro é bem menor. Ninguém abriu grande vantagem sobre os demais, foi um torneio com muitos empates e um número de gols relativamente baixo”, observa.

Na semifinal, o Tok de Bola venceu a Seleção Caiense por 1 a 0, em duelo muito equilibrado. O técnico Alexandre acredita que a final será ainda mais parelha. “Nosso jogo da semifinal foi tenso, mas tenho que elogiar meu grupo. Acredito demais na minha equipe, mas não há favorito. São dois grandes times, o Chelsea é uma equipe tradicional do Cantegril, o Tok de Bola já pode ser considerado tradicional no Grêmio Gaúcho. Tenho certeza que será um jogo decidido no detalhe”, analisa.

Preparado para mais uma final, o treinador do Tok ainda faz uma cobrança ao Poder Público de Montenegro. “Vou cutucar de novo, como já fiz em outras vezes. É mais uma final montenegrina em outro município. Aqui (em Montenegro) a gente não consegue jogar praticamente nada fora dos clubes privados. Vamos respeitar demais nosso adversário, mas é um dos títulos que está faltando para o time masculino do Tok de Bola e vamos lutar por ele até o último segundo”, conclui.

Deixe seu comentário