Quando a pandemia for apenas uma lembrança e todos estivermos de volta às ruas – trabalhando, estudando e tendo atividades de lazer – você se sentirá apreensivo em subir na balança? Muita gente tem dito que está passando longe delas, com medo receber a prova de algo que o espelho e a calça jeans já demonstram: o período em casa, sem rotina e com grande pressão emocional causou aumento nas comilanças. O resultado é o ganho de peso que, se pode ser encarado como o menor dos problemas atuais, quando descontrolado, compromete a saúde e deve ser evitado.

Por um lado, é até natural que, sem muitas alternativas de entretenimento, as refeições se tornem um momento de lazer e isso não deve ser encarado como algo errado nem geral culpa após. Mas, sob outro ponto de vista, descarregar todas as angústias e apreensões no prato de comida vai cobrar seu preço. Mas tem como equilibrar isso e evitar que a quarentena vire “tempo de engorda”?

Cíntia Eliana Rohr, nutricionista. Foto: Arquivo pessoal

A nutricionista Cíntia Eliana Rohr diz que orienta as pessoas a, mesmo na quarentena, tentar manter bons hábitos alimentares. “Uma dica é ter alimentos saudáveis em casa e pouca quantidade de guloseimas para, eventualmente, consumir. Até uma vez ao dia, porém, em pequena quantidade”, diz.

Cada família ou até cada indivíduo enfrenta dificuldades diferentes neste momento. Mas são raros os casos em que não houve nenhuma alteração na rotina. Quem está trabalhando normalmente tem relatado dificuldades para se alimentar na rua. Teve restaurante que fechou, buffet que virou prato feito e a chegada de muitos serviços de delivery de quentinhas já montadas. Só que isso muda a quantidade de opções de cardápio e também de comida que é ofertada a quem não tem a opção de ir para casa. Cíntia orienta para não exagerar na quantidade de comida dos delivery de quentinhas e, s possível, dividir uma porção com um colega ou familiar, pois geralmente uma vianda serve para duas pessoas.

Já quem está em casa com as crianças, há meses sem aulas presenciais, tem vivido um clima de férias. Aí é preciso colocar ordem nas refeições. A indicação da especialista é priorizar alimentos saudáveis como frutas ou sopas. Bolos, que a criançada adora, podem estar no lanche da tarde. Basta escolher uma receita saudável com farinha integral e açúcar mascavo, por exemplo. Uma dica é incluir as crianças no preparo, um ótimo entretenimento que os aproxima da culinária.

“Eventualmente, pode ser oferecido algum chocolate ou refrigerante em pequena quantidade (exceto para crianças menores de 2 anos). Batata frita é muito saborosa, porém a batata palito pode ser preparada no forno e fica uma delícia”, diz Cíntia.

Engordei. E agora?
Para algumas pessoas, o estrago já está feito e restaram alguns quilos a mais na balança. Cíntia Eliana Rohr defende que não é preciso deixar a pandemia passar para iniciar esse processo de reeducação alimentar. “É possível diminuir o peso iniciando com redução de quantidades, porém, para um melhor acompanhamento alimentar, o ideal é procurar um profissional nutricionista. Este irá elaborar um plano alimentar, ou melhor, um roteiro para cada pessoa na sua individualidade”, destaca ela.
Além de considerar o tipo de alimento ingerido, é necessário avaliar a forma como as refeições têm ocorrido. Evitar qualquer tipo de eletrônico durante a refeição, como celular e televisão, é indicado, pois inibem a percepção da quantidade de alimento ingerida. Além disso, experimente descansar os talheres entre uma garfada e outra. A refeição levará mais tempo e você irá saborear aquele alimento.

Aproveite o tempo para comer bem
Comer bem significa ingerir bons alimentos na quantidade correta. E, nesse sentido, a quarentena pode ser muito positiva. Afinal, com mais tempo em casa, é possível preparar as refeições com menos itens industrializados. A procura por receitas em família e a preparação podem render ótimos momentos. “Mas é preciso atentar para o excesso de calorias de alguns pratos”, alerta a nutricionista Cíntia Rohr. Cultivar uma horta em casa ou até no apartamento com vasinhos também é uma ótima forma de aproveitar o tempo livre para ter um alimento orgânico e livre de agrotóxicos. “Quanto mais natural for a alimentação das pessoas, mais imunes estarão a doenças ou mais rápido será a recuperação. O ‘você é o que você come’ continua muito atual”, finaliza a nutricionista.

Receitas saudáveis
Ratatouille
Este prato é uma mistura de legumes com molho de tomate. Sugere-se picar em rodelas e tiras a berinjela, a abobrinha e a cenoura. Numa travessa, despejar molho de tomate para forrar e, após, montar o prato com os legumes intercalados e os temperos naturais, como orégano, alho, manjericão e um pouco de sal. Leve ao forno por 40 minutos em média e, antes de servir, cubra o prato com mais molho de tomate.

Pão de castanhas sem glúten
Bata no liquidificador 3 ovos, 2 colheres de óleo de girassol, 1xícara de leite, 1 colher de chá de sal e 2 xícaras de farinha de arroz. Após, adicione 2 colheres de fermento em pó e finalize com castanhas do Pará picadas. Asse por 35 minutos.

Deixe seu comentário