Foto: Polícia Civil

O segundo museu mais antigo do Estado está de casa nova. A Polícia Civil do Rio Grande do Sul inaugurou, nessa quarta-feira, dia 21, a nova sede do Museu da Polícia. O espaço, na Rua Professor Freitas de Castro, n. 740, fica junto ao Palácio da Polícia e foi todo reformulado para receber o acervo do museu, que conta com mais de 4 mil itens – algumas armas são do século XVIII. O museu agora ocupa o espaço que antes abrigava a Policlínica da Polícia Civil.

Criado em 1937 pelo Decreto Lei 6.880, o mesmo que deu vida à Academia de Polícia da Instituição (Acadepol), o museu é o segundo mais antigo em funcionamento no Rio Grande do Sul, perdendo apenas para o Museu Júlio de Castilhos – também em Porto Alegre. Inicialmente chamado de Museu do Crime, foi rebatizado em 1959 como Museu Dr. José Faibes Lubianca em homenagem ao perito morto naquele mesmo ano. O museu funcionou durante anos na antiga sede da Acadepol, sendo provisoriamente fechado em 2017, quando a Academia de Polícia rumou para um novo prédio. Nesse meio tempo, o acervo foi colocado na sede do Serviço de Materiais da Polícia Civil.

Para a reformulação do espaço, a Instituição firmou convênio com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, por meio da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação (Fabico) que cedeu alunos dos cursos de Museologia e Arquivologia.

O Museu da Policia Civil estará aberto à visitação de segunda a sexta-feira, das 13h às 17h, respeitando os protocolos sanitários de combate ao coronavírus – como uso obrigatório de álcool em gel pelos visitantes e limite reduzido de pessoas no local. Já na parte da manhã o museu é de uso exclusivo de estudantes e pesquisadores, que deverão fazer o agendamento de horário pelo e-mail dcm@pc.rs.gov.br.

Deixe seu comentário