Muita gente madrugou para buscar o auxílio. Ele é uma das medidas de enfrentamento à crise gerada pela pandemia do novo coronavírus

NA CAIXA, pagamento que teve início nesta segunda segue até semana que vem

Não eram nem 7 horas da manhã e já havia gente na fila para entrar na agência da Caixa, em Montenegro, nesta segunda-feira, 27 de abril. O movimento registrado durante todo o dia foi para saque do auxílio emergencial de R$ 600,00 do governo federal. Foi a liberação do valor que já havia sido depositado nas poupanças digitais e que, só a partir desta semana, está disponível em dinheiro vivo. Os beneficiados precisam seguir calendário de acordo com seu mês de aniversário.

“É o que tem pra eu comprar comida e poder alimentar as crianças, que são um monte”, declarou Janete de Lima da Silva, 41 anos, na expectativa pelo atendimento. Com o marido preso e cinco filhos pequenos em casa, ela veio da localidade de Coxilha Velha, em Triunfo, para buscar o auxílio. Recentemente excluída do Bolsa Família, vinha contando com o auxílio de amigas para se manter nos últimos dias. “Vamos ver agora”, colocou.

De máscaras e guarda-chuvas, os cidadãos tiveram a fila demarcada, na calçada, para respeitarem o distanciamento preconizado como prevenção ao contágio pelo novo coronavírus. Funcionários da Caixa também estavam na rua, atendendo os interessados e filtrando os serviços para evitarem esperas desnecessárias. Muita gente acabou indo embora ao descobrir que, ao contrário do que esperava, não estava entre os contemplados da data. Fato é que, além do anseio pelo auxílio, fizeram presença na fila muitas dúvidas e desinformação.

REGRAS E PARTICULARIDADES
A etapa de saques iniciada na segunda-feira abarcou os beneficiários que não recebem Bolsa Família, nem possuem contas em outros bancos. Os demais não tinham restrição para o saque. Ao grupo que só agora pode retirar o dinheiro foram criadas automaticamente poupanças digitais gratuitas que já podiam ser usadas em meio digital para transferências ou pagamentos com código de barras. Isso, através de um aplicativo: o Caixa TEM.

E ele é necessário, também, para autorizar o saque liberado a partir desta semana. O cidadão tem que acessar a funcionalidade através de um smartphone e solicitar a retirada. Em tese, aí ele receberá um código, que será necessário na hora de buscar o dinheiro na Caixa. Isso tem trazido alguns problemas.

“Ele diz que foi aceito, mas não vem esse código. Aí me falaram para eu vir aqui”, lamentou a moradora do bairro Germano Henke, Claudia Pereira, também na fila da agência. Em nota, a Caixa Econômica Federal confirmou que há, sim, uma instabilidade no servidor devido ao grande número de usuários que acessam ao mesmo tempo. O programa teve mais de 50 milhões de downloads até a noite de domingo.

Acabou sendo mais um obstáculo para a chegada de algum respiro para o bolso da família. “É pra pagar as contas que estão chegando. Agora, se vai ser o suficiente, eu não sei”, contou Claudia. Aos 47 anos de idade, ela vive com o marido e dois filhos. “O pior é que todo mundo está desempregado. Meu marido estava trabalhando até pouco tempo, mas acabou saindo”, relatou.

Após os beneficiados nascidos em janeiro e fevereiro, nesta terça-feira, 28, poderão sacar os nascidos em março e abril. O calendário segue: quarta-feira, 29, para nascidos em maio e junho; quinta-feira, 30, para julho e agosto; segunda-feira, 4 de maio, para setembro e outubro; e terça-feira, 5, para novembro e dezembro. Os valores se referem ao primeiro mês de pagamento do auxílio emergencial.

Deixe seu comentário