Por meio do programa Agora, é Avançar, serão realizadas 800 mil novas contratações de unidades habitacionais para o Minha Casa Minha. Para a Faixa 1 (renda até R$ 1,8 mil), serão 150 mil casas; as outras 650 mil, para a Faixa 2 (renda de até R$ 4 mil).

Outras medidas, como a que libera as famílias com crianças que tenham microcefalia do sorteio, a ampliação do teto de financiamento de R$ 240 mil para R$ 300 mil e a exigência de que os novos empreendimentos sejam construídos perto de centros urbanos, também contribuíram para melhorar a eficiência do programa.

Como funciona 
Para conseguir um financiamento pelo Minha Casa Minha Vida, é preciso cumprir algumas condições. Quem tem renda mensal menor de até R$ 1,8 mil deve procurar a prefeitura de onde mora para se cadastrar e participar do processo de seleção.

As famílias que ganham até R$ 7 mil, por sua vez, podem contratar o financiamento por meio de uma entidade organizadora ou de forma individual. Para isso, basta entregar a documentação em uma agência da Caixa Econômica Federal.

São priorizadas as famílias residentes em áreas de risco ou insalubres ou que tenham sido desabrigadas; famílias com mulheres responsáveis pela unidade familiar; e famílias de que façam parte pessoa(s) com deficiência, comprovado com a apresentação de atestado médico.

Quem tiver o cadastro selecionado pelas prefeituras ou validado pelo banco será comunicado sobre a data do sorteio das unidades e da assinatura do contrato de compra e venda do imóvel. Com o cadastro validado e aprovado, o responsável da família assina o contrato de financiamento.  

Deixe seu comentário