FOTO: ARQUIVO/JORNAL IBIÁ

O tradicionalista Ubirajara Pires faleceu nessa terça-feira, dia 15, aos 77 anos de idade. Ele estava internado no Hospital Unimed Vale do Caí em razão de problemas no coração e nos rins. “Bira”, como ele era conhecido na comunidade, era casado com a senhora Nelci, a “Kika”, que conheceu em 1972. Ele teve cinco filhos: Luiz Eduardo, Ubiraci, Cristina, Cristiano e Patrícia; e ainda criou mais duas crianças, os irmãos Marcos e Maria Schons.

O velório está acontecendo na Funerária Forneck Mattana, no bairro Cinco de Maio. A cremação ocorrerá no Crematório Jardim da Memória, em Novo Hamburgo, com saída de Montenegro prevista para às 13h30.

Nascido na localidade de Coleiras Perdidas, em Palmeira das Missões, Ubirajara Pires viveu em muitas cidades. Na infância, por contingências familiares, morou em Frederico Westphalen, depois em Santo Augusto e serviu ao Exército em Uruguaiana. Na juventude, jogou bola e foi um atacante agudo em equipes de Passo Fundo, Lagoa Vermelha e de Francisco Beltrão, no Paraná. Contudo, uma lesão o tirou dos gramados precocemente.

Em 8 de setembro de 1967, o tradicionalista se mudou para Montenegro. Era funcionário da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) e, nesta condição, acabou pegando a estrada novamente em 1971. Foi cedido para várias prefeituras, como as de Ijuí e Tenente Portela. Nesse tempo, ajudava a fazer a contabilidade dos órgãos públicos, acumulando tarefas também nas cidades de Braga e Miraguaí. A volta a Montenegro ocorreu em 1982, quando fixou residência.

Depois de encerrar a carreira como servidor público, Pires ainda ocupou cargos na Prefeitura. Como comunicador, apresentou por dez anos o programa Charla Galponeira na Rádio Montenegro FM; fomentando a paixão pela cultura do Rio Grande do Sul. Ligado às tradições gaúchas desde muito novo, era um amante de poesias, declamação, chula e dança; e participou de diversas entidades da área. Em 2019, Bira foi o homenageado da Semana Farroupilha de Montenegro.

Deixe seu comentário