Em maio moradores realizaram mutirão de reparos na localidade de Costa da Serra. Foto: Arquivo Jornal Ibiá

Os cidadãos precisam cobrar das autoridades medidas efetivas para resolver os problemas enfrentados pela população. Para as comunidades de Montenegro, Maratá e Brochier, as péssimas condições da ERS-411, ligação entre os municípios, é o maior em termos de infraestrutura. Contudo, quando o poder público é ineficiente, há outras possibilidades além de ficar de braços cruzados apenas reclamando.

Quatro moradores da região se uniram para arrumar um dos trechos mais deteriorados da via próximo ao curtume de Costa da Serra, em Montenegro. Lairton Pilger, Gediel Griebeler, Elson Peiter e Valdeci Pacífico realizaram o serviço com dois tratores, enxadas e muita boa vontade. O trabalho levou cerca de duas horas e foi concluído na manhã de sábado, 11.

Lairton Pilger, com a experiência de quem já foi prefeito de Brochier, cobra medidas concretas das Administrações de Montenegro, Maratá e Brochier. Ele classifica o poder público neste caso como inoperante. “Eles dizem que não podem interferir por ser uma rodovia estadual. Podem, sim. Basta fazer um convênio com o Daer (Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem)”, ensina.

Por outro lado, quando iniciar obras no trecho, não faltarão políticos no local, conta. “Foi uma briga para ‘ver quem era o pai da criança’. Quando levantaram máquinas, ninguém mais apareceu”, alfineta. O empresário mora em Brochier e tem agropecuária em Montenegro, logo, convive diariamente com a perigosa e abandonada estrada.

As obras para recuperação da via foram iniciadas em setembro do ano passado, mas paralisaram cerca de um mês depois por falta de recursos. Os piores trechos da ERS-411, onde há mais buracos, estão onde o asfalto já havia sido retirado. A recuperação pode recomeçar nas próximas semanas, pois, recentemente, o Estado quitou a pendência financeira que havia com a empresa detentora do contrato de conserva rotineira, a Construtora Giovanella, e já solicitou à empresa que ela dê continuidade aos trabalhos na rodovia que liga Montenegro a Brochier e Maratá.

A ideia de Pilger é realizar mais ações como essa. “Vamos marcar outro dia para fazer o resto, tentar endireitar isso”, frisa. Além de representar um ato de cidadania, o trabalho deles pode salvar vidas, pois buracos podem fazer motoristas perderem o controle do veículo, vindo a invadir a pista contrária.

Deixe seu comentário