Segmento industrial é um dos principais da economia montenegrina, alçando o Município ao Top 20 do Estado

CRESCIMENTO. Com o melhor resultado do Vale do Caí, Município tem Produto Interno Bruto de R$ 3,3 bilhões

O Município de Montenegro figura na lista dos 20 melhores PIB’s do Rio Grande do Sul, com a posição de número 19. Os dados do Produto Interno Bruto foram divulgados pelo Departamento de Economia e Estatística do governo estadual, em parceria com o IBGE. Trazendo as informações do ano de 2017, o levantamento indica um PIB de R$ 3,3 bilhões por aqui, fazendo Montenegro subir seis posições no ranking gaúcho, na comparação com o ano anterior.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços finais produzidos na cidade. “Finais” para evitar a dupla contagem. Ou seja, se no ano o Município produziu R$ 100,00 de trigo, R$ 200,00 de farinha de trigo e R$ 300,00 de pão, o PIB somará só os R$ 300,00, visto que os valores da farinha e do trigo já estão embutidos no valor do pão. Essa é a lógica para chegar no valor.

O PIB também não é o total da riqueza, apesar de este ser um equívoco comum. Se trata de um indicador de uma produção que, como verificado, cresceu. “O dado é reflexo do crescimento da Economia do nosso Município”, destaca o secretário municipal da Fazenda, Antônio Filla. “Tivemos um acréscimo de 12,24% no Valor Adicionado Total do Município em comparação ao ano de 2016.”

Importante salientar que, servindo para sintetizar a situação da economia, o Produto Interno Bruto não expressa outros fatores, como distribuição de renda e qualidade de vida. Tanto que existem municípios (e países) com PIB’s pequenos e alta qualidade de vida; e vice-versa. Em Montenegro, por exemplo, o PIB per capita – que seria a distribuição igual desses bens pela população – ficou em R$ 51,6 mil por pessoa, muito longe do que os montenegrinos recebem.

No Estado todo, aliás, a unidade federativa que tem o mais alto valor desse indicador é Triunfo. Lá são consideráveis R$ 311,2 mil “por cabeça”. É que, com a produção do Polo Petroquímico e o número pequeno de habitantes, a cidade da Região Carbonífera acaba tendo um PIB per capita mais inflado. Também pequenos, Pinhal da Serra e Aratiba ocupam a segunda e a terceira posição do ranking.

  • A produção agropecuária de Montenegro ficou na 221ª posição. Houve uma queda no segmento, na comparação com 2016. Tinha sido de R$ 55,8 milhões e passou para R$ 46,7 milhões, reflexo de condições climáticas, segundo a Fazenda.
  • No segmento industrial, o Município se destacou. Ficou na 14ª posição no Estado, somando uma produção de R$ 1,146 bilhão. No ano anterior, tinha sido de R$ 908,7 milhões, um considerável crescimento.
  • Destaque também no ramo de prestação de serviços, que colocou Montenegro na posição de número 29 do ranking estadual por segmento. Impulsionada pelos MEI’s, o faturamento foi de R$ 1,5 bilhão. Tinha sido R$ 1,3 bilhão no ano anterior.

Números da região são positivos, mostra indicador
42,3% da atividade econômica gaúcha é concentrada pelos 10 municípios que ocupam o primeiro lugar no ranking do PIB. Porto Alegre lidera, seguido de Caxias do Sul, Canoas, Gravataí, Rio Grande, Triunfo, Novo Hamburgo, Passo Fundo, Pelotas e Santa Cruz do Sul.

“A produção destes dados é fundamental para o Estado e para o planejamento de políticas públicas. Também é importante por demonstrar a dinâmica e a performance dos municípios a partir de informações sobre todos os segmentos produtivos”, explica a chefe da Divisão de Indicadores do Departamento de Economia e Estatística, Vanessa Sulzbach.

O Vale do Caí apresentou bom desempenho, conquistando, na maioria, lugares de maior destaque no ranking estadual. Montenegro segue o maior da região, seguido por Portão na posição 71; e São Sebastião do Caí, na 105. O pior PIB do Vale é Linha Nova, na posição 479, caindo da posição 459, que ocupava no ano anterior. Confira a relação a seguir.

Os números do Vale do Caí, na ordem do ranking estadual
– 71º – Portão, com PIB de R$ 1.077.214.477,00
– 105º – São Sebastião do Caí, com PIB de R$ 631.810.854,00
– 119º – Bom Princípio, com PIB de R$ 534.970.435,00
– 138º – Tupandi, com PIB de R$ 415.872.109,00
– 142º – Feliz, com PIB de R$ 402.873.728,00
– 175º – Salvador do Sul, com PIB de R$ 282.987.315,00
– 224º – Capela de Santana, com PIB de R$ 197.605.682,00
– 250º – Barão, com PIB de R$ 173.470.471
– 264º – Harmonia, com PIB de R$ 160.014.679,00
– 296º – Vale Real, com PIB de R$ 130.698.589,00
– 306º – São José do Hortêncio, com PIB de R$ 122.892.331,00
– 364º – Maratá, com PIB de R$ 92.294.841,00
– 373º – Pareci Novo, com PIB de R$ 88.120.353,00
– 378º – Brochier, com PIB de R$ 86.883.183,00
– 385º – Alto Feliz, com PIB de R$ 84.070.477,00
– 397º – São José do Sul, com PIB de R$ 80.787.371,00
– 415º – São Pedro da Serra, com PIB de R$ 71.854.618,00
– 433º – São Vendelino, com PIB de R$ 64.027.541,00
– 479º – Linha Nova, com PIB de R$ 46.469.648,00

 

Deixe seu comentário