Apesar dos problemas, piscicultores garantem que haverá peixe na Páscoa. Foto: Arquivo Jornal Ibiá

Na manhã desta sexta-feira, dia 3, a Prefeitura de Montenegro confirmou que haverá comercialização do peixe vivo na Semana Santa. A tradicional feira em praça pública foi cancelada pelo Decreto de Situação de Emergência devido ao Covid-19. Agora, Associação de Piscicultores de Montenegro, com apoio da Emater e da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural (SMDR), definiu a venda dentro das propriedades dos pequenos agricultores e junto a estabelecimentos.

Produtores e clientes estão sendo orientados a seguir normas de prevenção à contaminação pelo Coronavírus, especialmente, evitando a aglomeração e reduzindo o contato entre as pessoas. Ao contrário de outros anos, a excepcionalidade da pandemia tira da venda de pescado um clima festivo deste evento da Páscoa. O diferencial em 2020 será a venda por tele-entrega ou agendamento da retirada do produto.

A comercialização ocorrerá em nove pontos espalhados pelo município, nos dias 8 e 9, quarta e quinta-feira, a partir das 8h30min e ao longo de todo o dia. Na Sexta-feira Santa, dia 10, e se ainda houver oferta de peixe, a venda será apenas no turno da manhã. Esta alternativa é um alento ao setor muito castigado pela estiagem. Açudes completamente secos provocaram mortandade de peixes nos últimos dias.

Onde serão as feiras

Piscicultor endereço contato
Jair Sarmento estacionamento Mercado Sacolão,Via II-Timbaúva 997035111
Olavio Ventura rua Carlos Lourival Lampert, 48 – São Paulo 996780515
Teófilo Azeredo estacionamento Loja TaQi, RSC-287- Sto. Antônio 995602592
Nilvo Weisheimer ERS-124, comunidade Calafate 998288109
Paulo Müller comunidade Santos Reis 996525453
Nelson Zanella comunidade Vendinha – Sítio Paraíso 993599492
Israel Lima comunidade Vendinha 982172812
Ivan Azevedo rua Terezina, 275-Germano Henke/frente a praça 998121685
Marcos Schons Casa do Pescador – Osvaldo Aranha, Centro 996729001
Foto: Arquivo/Jornal Ibiá

Preços tabelados
Tilápia = R$ 14,50 kg
Carpa Capim = R$ 12,50 kg
Carpas Húngara, Cabeça Grande e Prateada = R$ 10,50 kg

 

 

Expectativa e orientações da Emater
A Emater/RS-Ascar concluiu nesta semana o levantamento da expectativa de comercialização de pescados nos vales do Caí e Taquari durante a Semana Santa. A previsão é de que sejam vendidas 343 toneladas de carpas e tilápias nos dias que antecedem à Páscoa. É um número muito menor se comparado com 2019, quando mais de 520 toneladas foram ofertadas. Em 55 municípios serão mais de 250 pontos de comercialização dentro das propriedades (venda na taipa), que juntos representarão volumo próximo aos R$ 3,4 milhões.

O extensionista e zootecnista da Emater/RS-Ascar, Regional Lajeado, João Sampaio, salienta que as restrições devido ao novo Coronavírus obrigará os piscicultores a trabalhar em consonância com as determinações dos órgãos oficiais dos municípios. Em geral, deverão ser realizadas de forma segura, sem aglomeração e contato. “Estas deverão seguir as normas voltadas a estabelecimentos que comercializam itens de alimentação (como mercados), o que evitará a exposição e os riscos”, salienta.

A preferência deve ser pela venda fracionada na taipa e por encomenda, ou com baixo envolvimento de pessoas ao longo do dia, podendo agendar a presença. Outra orientação é retirar poucos peixes a cada dia, sem secar os açudes, mantendo a produção em função da estiagem. A Inspetoria Veterinária realizará atendimento virtual para emissão da Guia de Transporte Animal (GTA) por meio do talão de produtor. “Sabemos que os piscicultores necessitam vender, mas devemos estar atentos a estas questões”, completa o também extensionista Henrique Bartels.

Covid-19 – Emater/RS-Ascar orienta:
1 – Atendam os consumidores individualmente;
2 – Busquem a distância mínima de dois metros entre as pessoas;
3 – Solicitem aos consumidores que evitem aglomerações;
4 – Realizem as feiras em locais abertos e ventilados;
5 – Busque na Secretaria de Saúde orientações para repassar aos consumidores sobre cuidados em relação ao Coronavírus;
6 – Usem luvas e máscara, e lave as mãos com água e sabão, ou álcool gel, após cada cliente atendido.

 

Deixe seu comentário