Placa, recém-habilitada, trânsito, motorista

A montenegrina Lídia Carolina Gonçalves, 19, está fazendo sucesso nas ruas da cidade e no estacionamento do Instituto Federal do Rio Grande do Sul, na Feliz, onde estuda. Habilitada há três meses, a jovem resolveu colocar um cartaz na traseira do Uno que dirige, pedindo paciência aos demais motoristas.

A placa de “Recém-habilitada, agradeço a paciência”, já foi compartilhada até nos grupos do Facebook e foi citada como exemplo por outros motoristas. Ela conta que a ideia surgiu após sentir a insegurança em dirigir pouco tempo após receber a habilitação. “Então eu vi a história daquela paranaense [Débora Correa], que colocou a placa e achei uma boa ideia. Resolvi copiar”, Conta. “Eu copiei a iniciativa dela, mas foi pelo bem”, ri a estudante.

Placa, recém-habilitada, trânsito, motoristaTudo começou com uma brincadeira após ter visto a notícia da paranaense na internet e na página 2 do jornal Ibiá. “Eu falei que ia colocar a plaquinha também e meus amigos duvidaram”. Após colar o papel no veículo, Lídia mandou uma foto no grupo do WhatsApp e afirma que a ideia foi aprovada. “Uma amiga minha que tirou a carteira há menos tempo do que eu disse que vai por também”. No campus da universidade, o carro faz sucesso. “Os outros alunos riem e dizem que está certinho”.

Ela percorre diariamente os 40 km entre Montenegro e Feliz dirigindo. “Andar a 40 km/h dentro da cidade é muito diferente de andar a 80 km/h na rodovia”, afirma. Os resultados foram satisfatórios desde que o cartaz está colado no seu carro. “Os motoristas de outros carros e de caminhões já ficam mais longe ou ultrapassam. Eu me sinto mais segura”, diz.

Na perspectiva da estudante, falta fiscalização e educação no trânsito. “Antes de ter a plaquinha, eu deixei o carro apagar na esquina e já ficaram buzinando atrás, sendo que isso pode acontecer até com quem dirige há mais tempo”. Segundo ela, os mais idosos são os mais impacientes.

Coração de mãe mais tranquilo
A mãe, Janete Gonçalves, aprovou a ideia da filha. “Quando ela veio com a plaquinha, já me acalmou”, conta. Ela afirma que pede à filha que sempre mande mensagem confirmando que teve uma viagem tranquila. “Ela pegou a carteira e já na outra semana começavam as aulas, então ela ia pegar rodovia. A gente fica preocupada”.

Janete, que sempre anda com a filha, aprova as atitudes da jovem no trânsito. “Ela dirige bem. O que preocupa é que o pessoal é muito apressado, já quer passar”.

Deixe seu comentário