Macrófitas aquáticas tem papel essencial na filtragem de nutrientes

Uma cena inusitada foi vista no Rio Caí, em Montenegro, no início da manhã desta quina-feira, 3. Quem passava pela frente da Câmara de Vereadores pode observar grande quantidade de salvinia sp., mais popularmente chamada de “marrequinhas”, passando pelo curso de água.

O mesmo fenômeno que ocorre no lago de baixo no Parque Centenário, é pontual, e tende a  se diluir. Segundo o biólogo Rafael Altenhofen, integrante do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Comdema), as Macrófitas aquáticas (aguapés), como essas salvinias, desempenham importante papel na filtragem de nutrientes e, por consequência no auxilio à redução da poluição de origem orgânica nos corpos hídricos.”Por óbvio que não será esse pequeno volume que contribuirá com a despoluição do Caí, mas mal não farão”, explica.

A origem das marrequinhas no rio é desconhecida, porém Altenhofen afirma que é de local com águas paradas. “Em princípio o volume de chuvas dessa noite não seria suficiente para transbordar ou romper algum represamento. Pode ter sido uma situação de manutenção, por exemplo”, diz.

As salvinias poderiam levar minutos, horas ou dias para chegar ao Caís de Montenegro, e isso ainda dependendo de ter sido diretamente na calha do Caí ou em algum arroio, como relata o biólogo. “Quanto a origem e tipologia do evento que as despejou infelizmente as informações são insuficientes para determiná-las (apenas especulações então), e poder fazer então qualquer juízo de valor quanto a outros efeitos benéficos ou negativos para o rio”, completa.

 

Deixe seu comentário