Anfitrião na categoria Força Livre, Maratá comemorou o título em casa

Futebol de areia. Finais aconteceram na noite do último sábado, em Maratá

Três equipes fizeram a festa na noite de sábado nas areias de Maratá. Com arena lotada e artilheiros inspirados, os campeões da 16ª edição da Copa Schin Intermunicipal de Futebol de Areia foram conhecidos. Na categoria Força Livre, o anfitrião Maratá levantou a taça ao vencer o Casa da Borracha/RM Contabilidade, de Montenegro, por 4 a 3. No Feminino, o Fênix garantiu o título com uma goleada sobre o Tok de Bola. Já no Municipal, a festa foi do Máfia da Pimenta.

Apenas equipes de Maratá e Montenegro chegaram às decisões do torneio neste ano. E os dois municípios travaram um duelo de muito equilíbrio e rivalidade na final da Força Livre. Com sete gols, a partida mais aguardada da noite teve emoção do início ao fim, e o título ficou com os donos da casa.

Aos três minutos de jogo, Edison Cauê soltou uma bomba de canhota e obrigou o goleiro Luciano Zirbes a se esticar todo para salvar o Casa da Borracha. Até o primeiro tempo técnico (aos 10 minutos), o duelo era muito pegado, com poucas oportunidades de gol. Quando a bola voltou a rolar, as individualidades começaram a aparecer. Aos 11, Fábio Andrioli arriscou da intermediária, a bola sofreu um leve desvio e foi para o fundo do gol. Maratá em vantagem.

Máfia da Pimenta conquistou o título do Municipal nos pênaltis

Quatro minutos depois, William Mello, o Limão, fez boa jogada pela esquerda e bateu na saída do goleiro Tiago para empatar a decisão. O placar permaneceu em igualdade até os dois minutos do segundo tempo. Em cobrança de falta do meio-campo, Wagner Erig bateu forte, no ângulo e colocou o Maratá na frente mais uma vez. Porém, o Casa da Borracha voltou a empatar aos sete, novamente com Limão. O camisa 10 do time montenegrino cortou o marcador duas vezes e finalizou de longe, a bola desviou no meio do caminho e morreu no cantinho do gol defendido por Tiago: 2 a 2.

A partida seguia lá e cá. Aos 12, Edison Cauê chutou, o goleiro Luciano espalmou, mas a bola voltou para Cauê, que bateu novamente. A bola rebateu na zaga e foi para o gol. Mesmo em vantagem, o Maratá seguiu atacando. Dois minutos após o terceiro gol, Denis Carvalho fez boa jogada pelo meio, mas finalizou por cima. No lance seguinte, Fábio perdeu boa chance ao mandar para fora após cobrança de escanteio.

O cronômetro marcava 17 minutos quando Cauê deixou o Maratá muito perto da taça. O jogador roubou a bola no ataque, tabelou com Fábio e bateu na saída do goleiro para ampliar. A um minuto do fim, Júlio César da Motta fez o terceiro do Casa da Borracha e deu tons dramáticos nos instantes derradeiros. Mas o Maratá venceu por 4 a 3 e comemorou o título com sua torcida.

Goleada no Feminino e pênaltis para decidir o Municipal
As outras duas finais da noite tiveram histórias completamente diferentes. Pela categoria Feminina, a mulherada do Fênix conquistou o título de forma indiscutível, ao golear o Tok de Bola por 6 a 1, de virada, no clássico montenegrino. Em noite mágica, Franciele Rangel fez quatro gols. Na categoria Municipal, principal novidade desta edição, o campeão só foi conhecido nos pênaltis.

Na decisão feminina, o Tok de Bola saiu na frente logo no primeiro minuto. Daniela aproveitou cobrança de escanteio e, sem marcação, finalizou para o fundo do gol. Depois disso, só deu Fênix. Aos oito, Franciele Rangel cobrou falta rasteira e empatou. Aos 15, Fran voltou a balançar as redes com um chute alto, sem chances para a goleira adversária. Três minutos depois, Fran fez seu terceiro gol na partida, com boa colaboração da arqueira rival.

Fênix saiu atrás, mas virou e aplicou uma goleada sobre o Tok de Bola

No segundo tempo, Leila Pompeo, que também teve grande destaque, fez um lindo gol. Aos sete minutos, a camisa 10 do Fênix driblou a zagueira e finalizou forte, no alto, para marcar o quarto gol da sua equipe. Leila voltaria a marcar dois minutos mais tarde. Em mais uma jogada individual, a habilidosa jogadora do Fênix ficou de frente para o gol e escolheu o canto para ampliar. Aos 12 minutos, Leila achou Fran, que bateu de primeira e fechou o placar: 6 a 1 Fênix.

O confronto que definiu o primeiro campeão da categoria Municipal também foi cheio de gols, principalmente no segundo tempo. Logo aos três minutos de jogo, Maico Schmitt abriu o placar para o Máfia da Pimenta. A etapa inicial continuou movimentada, mas terminou com apenas um gol. Na segunda etapa, Joel Stein cobrou falta do meio-campo aos quatro minutos e ampliou. No minuto seguinte, Wagner Erig descontou para o Esperança, também cobrando falta.

Alcides Azeredo aumentou a vantagem do Máfia aos 10 minutos. Em busca da reação, o Esperança arriscava de longa distância. Aos 14 minutos, Henrique Alflen soltou uma pancada e mandou a bola no ângulo, colocando fogo na final. Dois minutos depois, Wagner cobrou mais uma falta com perfeição: 3 a 3 e decisão nos pênaltis. Na série alternada, o goleiro Anésio Weschenfelder voou no canto direito para dar o título para o Máfia da Pimenta: 3 a 2.

Deixe seu comentário