Foto: arquivo Jornal Ibiá

Às vésperas do início da 16ª Oktoberfest, a prefeita de Maratá, Gisele Schneider, publicou decreto que exige o comprovante de ao menos a primeira dose da vacina contra a Covid-19 para acesso a eventos em ambientes fechados organizados pela Prefeitura e pela Associação Cultural do Município. A regra é restrita a atividades com público estimado em mais de 400 pessoas e já vale a partir desta sexta-feira, 1º de outubro. O comprovante cobrado precisa ter sido emitido pela secretaria de Saúde do Município onde o cidadão realizou a vacina; ou, ainda, através da Carteira de Vacinação Digital.

Na prática, dentro da programação da Oktoberfest, a obrigatoriedade da vacina valerá aos eventos previstos para o dia 2 (abertura, com jantar alemão) e para o dia 9 (noite do chopp). Os demais não se enquadram nos pré-requisitos previstos no decreto. “A secretaria municipal da Saúde manterá o monitoramento da evolução da pandemia da Covid-19 no Município por meio de análises epidemiológicas, podendo elaborar novas recomendações a qualquer tempo”, traz a prefeita no dispositivo legal. Em Maratá, 84,7% da população total recebeu a primeira dose do imunizante.

DESFILE

O tradicional desfile da Oktoberfest de Maratá por Montenegro ocorre neste sábado, dia 2, às 9h30. O grupo convidará para a festa, atravessando a rua Ramiro Barcelos, no trecho entre a RSC-287 e a rua José Luis.

Deixe seu comentário