Desafio da saibreira voltou a ser ponto alto da Trilha do Carvão.

5ª edição. Maior encontro de trilheiros do Rio Grande do Sul durou três dias, teve 2.637 inscritos e grande público

A 5ª Trilha do Carvão promoveu três dias de muita festa que culminaram, na manhã de domingo, com a realização do percurso por cerca de 80 quilômetros de trilhas e estradas do interior de Brochier, Maratá e Montenegro no qual o Doguinhos Jeep Motoclube trabalhou durante diversos meses. A recompensa veio não apenas na ótima presença de público, mas no novo recorde de inscrições: 2.637 pilotos participaram do evento.

Percurso de cerca de 80 quilômetros passou por diversas comunidades do interior

Segundo o presidente do Doguinhos, Matheus Neis, foram realizadas 10 largadas, cada uma com cerca de 250 aventureiros. Elas eram puxadas por Fred Kyrillos, renomado piloto de Freestyle, que também fez apresentações nas noites de sexta-feira e sábado. “Tivemos um aumento significativo (no número de inscritos). Não esperávamos tantos”, comentou Matheus. “O saldo é super positivo. O evento se transformou numa verdadeira feira do motociclismo”, destacou.

Além das apresentações de Kyrillos, a 5ª Trilha do Carvão, que começou na sexta-feira, teve diversos shows com bandas como Brilha Som – que encerrou o evento –, Barbarella, Eh Expresso e Hatfield, apresentação da Usina da Fumaça, brinquedos infláveis, tudo de forma gratuita, além de praça de alimentação e estandes de empresas que vendem motos e equipamentos do ramo. Houve ainda o sorteio de cinco motos Yamaha TTR 230. “Estou cansado e sem voz, mas muito feliz”, garantiu Matheus na tarde de ontem. De acordo com ele, o sentimento era de dever cumprido. Agora, o Doguinhos se prepara para a próxima edição do evento, que acontece no primeiro final de semana de agosto de 2019.

Altair diz que prefere o quadriciclo pela comodidade que ele representa

Dentre as centenas de participantes estava Altair da Cruz, 43 anos. Ao lado de outros 22 amigos de Sapucaia do Sul, ele chegou a Brochier no sábado e acampou na campeira do Parque da Expofesta. “É a primeira vez que venho. Este evento é bastante comentado. Fui bem recebido e ele está bem organizado”, destacou. Já um veterano nas trilhas, Altair deixou de lado a moto para passar a praticá-las com um quadriciclo. “Ele (o quadriciclo) tem mais conforto. A moto judia demais”, afirmou.

Grupos de diversas regiões participaram

Grupo de Osório saiu por volta das 4h para chegar em Brochier às 7h

Andando pelo acampamento era possível ver que aventureiros de diversas regiões do Rio Grande do Sul estavam presentes na 5ª Trilha do Carvão. Um dos grupos era o Trilheiros dos Ventos, de Osório. “Saímos às 4h e chegamos às 7h em Brochier”, contou na manhã de ontem Mauro Cesar Cerqueira de Souza, 47 anos. Segundo ele, 15 integrantes do grupo vieram ao Vale do Caí na terceira participação dos Trilheiros dos Ventos na Trilha do Carvão. “Para mim é a primeira vez. Vim para curtir. Os demais falam muito bem e gostam do evento”, destacou.

De acordo com Mauro, é o espírito de aventura, a adrenalina de andar numa trilha diferente e a “bagunça” do acampamento que fazem com que o grupo viaje muitos quilômetros para participar de eventos como o organizado pelo Doguinhos. “O conjunto da festa é que faz o sucesso dela”, apontou Mauro. Leonardo Sanson, 23 anos, concordou com a afirmativa. Ele veio com outros 11 amigos de Arvorezinha para prestigiar o evento. “Hoje (domingo), não vou participar porque estou doente, mas vale a pena vir. É um grande encontro”, destacou. Segundo o jovem, ele e seus amigos optaram por chegar sábado em Brochier e acampar na cidade para evitar andar de madrugada e chegar cansado para a trilha.

Trimaníacos, de São José do Sul, montaram acampamento ainda na sexta-feira

Como não podia ser diferente, centenas de aventureiros do Vale do Caí participaram da 5ª Trilhado Carvão. Entre eles, estavam 12 integrantes do grupo Trimaníacos, de São José do Sul. Eles chegaram na sexta-feira para participar na trilha no domingo. “Hoje (ontem) é o dia mais esperado. Estamos esperando os últimos pelotões para não pegar tranqueira e poder ir tranquilo e curtir a trilha”, disse Tiago Gallas, 26 anos.

Segundo Gallas, o acampamento é um momento especial onde é possível se reunir com amigos. “Vem pessoas de todo o Estado”, destacou. Além disso, as famílias dos trilheiros também participam da “folia” e o grupo aproveita para divulgar o seu encontro. “A próxima edição da Trilha do Ventil acontece no dia 27 de janeiro de 2019”, frisou o piloto.

Espaço nas motos também para elas

Ketlin Hunhoff tem 16 anos e já participa de trilhas ao lado de familiares

No mar de pilotos que se reuniam para as largadas a cada 15 minutos, destaque para as diversas mulheres que estavam em cima da moto esperando pela chance de acelerar no barro. Entre elas estava a jovem Ketlin Hunhoff, de apenas 16 anos. Incentivada pelo pai, que lhe deu uma motocicleta de trilha, ela começou a participar de encontros há cerca de um ano. “É um esporte bonito, mas ainda tem pouca mulher o praticando”, comentou.

Pai e filha participaram de sua segunda trilha juntos

“Eu adoro trilhas, tu conhece muita gente nelas”, destacou Ketlin, que mora em Capitão. A jovem salientou ainda que sua família inteira estava presente em Brochier. Inclusive, ela participou da trilha acompanhada pelo pai e pelo tio. Quem também tem na trilha um evento que inclui toda a família é Ramon Ortiz Viera, 39 anos, e sua filha Amanda Vieira, 19.

“É a segunda trilha que faremos juntos”, contou Ramon minutos antes da largada de seu pelotão. Como Amanda ainda não dirige, ela seguia na carona do pai. “É o nosso domingo em família”, brincou o pai, que lembrou ainda precisar ser mais cuidadoso no percurso por estar com uma caroneira. Já a filha garantiu que, de qualquer forma, a aventura é garantida.

Com recorde de inscrito, pilotos foram divididos em 10 pelotões

Deixe seu comentário