Motociclistas de Montenegro e Triunfo se uniram em uma corrente do bem e realizaram, na manhã deste domingo, 01, a Trilha do V8, que passou por comunidades dos dois municípios. A trilha do V8 foi uma realização dos Trilheiros do Brejo e do Tatu Trilha, para arrecadar recursos para auxiliar no tratamento de Marcelo Schu, 28. Ele, que participa do Trilheiros do Brejo, está lutando contra leucemia promielocítica aguda.

“Nós nos reunimos na Trilha do Carvão e decidimos fazer alguma coisa pelo nosso amigo”, conta Fabio Souza, o Fabinho, integrante do Trilheiros do Brejo e um dos organizadores do evento. Da localidade de Catupi, 435 inscrições foram contabilizadas. Mas a rede de ajuda foi muito maior. “Teve gente que fez doações para podermos realizar o evento. Teve alguns que fizeram o depósito, mas nem vieram participar da trilha. Fizeram só para ajudar mesmo”, exemplifica Fabinho. Com todo o apoio recebido, o evento foi organizado em apenas 25 dias.

O portoalegrense Sidnei Alves Monteiro, 55, ressalta que a união é uma das características do esporte. Ele veio com o grupo Taka Trilha, com o intuito de unir a diversão do barro com o auxílio ao colega. “Quando um precisa o outro ajuda”. Segundo ele, os grupos de trilheiros são verdadeiras famílias dentro e fora das trilhas e isso é ressaltado no slogan do Taka Trilha “A mesma paixão forma uma família”.

De Capela de Santana, Humberto Müller, 19, aproveitou para jogar muito barro desde o início do percurso de 70 quilômetros. No primeiro neutro (ponto de parada), ele já estava empolgado com o trajeto. “Choveu muito. Tem bastante barro, mas vamos lá. Vamos acelerar”, afirma. “A gente veio também para ajudar um amigo que é trilheiro e está passando por um momento difícil”, ressalta.


O tratamento de Marcelo

Marcelo Schu. Foto: arquivo pessoal

Marcelo Schu descobriu a doença em 2017. Ele está internado no Grupo Hospitalar Conceição (GHC), em Porto Alegre. Segundo a esposa dele, Nicolle, o montenegrino teve febre nos últimos dias, mas agora está bem e sendo medicado com antibióticos.

O trilheiro precisa constantemente de doações de sangue. Quem deseja contribuir pode entrar em contato pelo telefone (51) 99737-1276. O Município colocou à disposição uma van para levar os interessados uma vez por semana a Porto Alegre. Pelo número, é possível saber o dia e o horário da partida e reservar um lugar. O veículo sai da Assistência.

Além disso, ele precisa do medicamento medicamento trióxido de arsênio, avaliado em R$ 78.400. A família conseguiu esse remédio judicialmente, já que ele não está disponível pelo SUS. Mesmo assim, há despesas como deslocamento para Porto Alegre, onde Marcelo realiza o tratamento, alimentação dos acompanhantes, entre outros.

Depósitos de qualquer valor podem ser feitos na Caixa Econômica Federal: agência 0530, conta 30858-7, Mateus Schu, CPF 02597967000. Será realizada prestação de contas.

Deixe seu comentário