Crime mobilizou diversos policiais militares, inclusive alguns de folga.

Resposta rápida. Primeiros criminosos foram capturados apenas cinco minutos após Brigada Militar ser acionada por uma testemunha do crime no Centro

Apenas cinco minutos após serem acionados, integrantes do Pelotão de Operações Especiais (POE) do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM) já haviam prendido três integrantes de uma quadrilha responsável por assaltar o supermercado Mombach, da rua Ramiro Barcelos, no Centro de Montenegro. Precisamente, às 20h20min de domingo, 16.

A pronta resposta foi possível graças a uma ligação para o 190 informando sobre o ocorrido. Foram recuperados cerca de R$ 3.000 mil e pertences das vítimas, como celulares, dois relógios e mochilas. Também foram apreendidos dois revólveres, um calibre 38 com numeração raspada e um 32 roubado.

O mercado já estava encerrando o expediente quando três dos criminosos armados entraram no local e anunciaram o assalto. Eles renderam as vítimas e as fizeram deitar no chão. O bando foi violento. Apontaram os revólveres para a cabeça das vítimas em diversos momentos e chegaram a agredir um funcionário com uma coronhada na cabeça. Ele foi até o Hospital Montenegro para a realização de laudo médico.

Os três homens detidos primeiro estavam em um Corsa vermelho, roubado na sexta-feira, 14, em São Leopoldo, e saíram em direção a residências próximas quando abordados. Eles foram acompanhados pela ruas João Pessoa e dos Plátanos, e parados já na Ramiro Barcelos.

Os dois restantes foram presos por outra guarnição do POE, que reforçou as buscas, em um Corsa branco, que seria usado para fuga. Os presos são Alexsandro Machado de Siqueira, 25 anos, André de Oliveira Paiva, 31, Anderson Rodrigo da Silva Mattos, 33, e Leandro Vargas da Silva Demétrio, 29.

Alexsandro e André estavam armados e eram e eram foragidos do sistema penal. O segundo condenado a 28 anos de prisão. A quadrilha, de Novo Hamburgo, foi apresentada na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento, onde foi lavrado o flagrante, e recolhida ao sistema prisional.

Um dos homens foi preso no terreno dos fundos de uma casa na rua Antônio Marques, bairro Rui Barbosa. Ele pulou o muro de uma residência na Capitão Cruz e foi até o local para tentar escapar do cerco policial.

Mas deu azar. Na casa na qual tentou buscar abrigo, mora um aposentado da Brigada Militar, que colaborou na captura. “Ele entrou pelos fundos. Eu ajudei a prender. Disse (para os policiais do POE), ‘vamos lá prender ele’. Chegamos e ele estava lá deitadinho”, lembra Olíbio de Andrade, 73 anos. Próximo ao homem, foi localizado um dos revólveres.

Os quatro criminosos foram capturados logo após o assalto ao mercado.

Trabalho técnico e com a participação coletiva da BM
O chefe do serviço de inteligência do 5° BPM, Oscar Bessi Filho, avalia o trabalho da Brigada Militar como excelente. “Com engajamento de todos, do soldado que estava no 190 ao tenente que comandou a ação. Todos foram técnicos, ágeis, perspicazes e profissionais em alto nível. Os presos foram capturados sem que um disparo de arma de fogo fosse efetuado”, comenta.

O oficial agradece à comunidade por avisar a Corporação sobre o fato a tempo de uma resposta imediata. Também salienta a importância de os cidadãos estarem sempre com a atenção redobrada. “Tivemos apoio de policiais de folga e de outras cidades que vieram assim que o alerta foi dado.

Mas este é um exemplo para que saibamos que a criminalidade vem de fora, com boas informações sobre o que acontece aqui, e vem disposta a cometer crimes violentos. Ainda mais nesta época do ano. Precisamos que cada cidadão, comerciante ou não na cidade, tome cuidados redobrados quanto a informações pessoais ou de seu movimento de caixa. Quanto menos gente souber, menor o risco de bandidos saberem também”, completa.

Deixe seu comentário