Processo automatizado de impressão elimina contato, reduzindo muito o risco. Fotos: reprodução internet

Cuidados. Depois de ler seu Ibiá, descarte o papel e lave as mãos

Conforme você já foi informado, o Jornal Ibiá seguirá informando seus leitores sobre a evolução da pandemia de coronavírus (covid-19) pelo mundo e de tudo que for relevante para Montenegro e o Vale do Caí. Isso porque sabemos o quanto a informação – em qualquer tempo, mas, sobretudo nesta crise – é vital para superarmos o momento difícil. “Mas, assim como estamos mantendo cuidados para preservar nossos colaboradores, também enfatizamos que você leitor deve manter alguns cuidados no manuseio do jornal impresso e também dos eletrônicos que lhe permitem acessar as notícias pelo portal do Ibiá e pelas redes sociais”, destacou a diretora Maria Luiza Szulczewski.

Atualmente o Jornal Ibiá é impresso num moderno parque gráfico, onde a rotativa que imprime as edições é automatizada. Isso significa que opera por comandos sem interferência humana quase na totalidade do processo. O papel foi comprado de fornecedores da Rússia (onde o vírus praticamente não existe). Chega em bobinas de mais de 1 tonelada, embaladas em papelão, que já estavam depositadas há mais de três meses. Uma máquina leva a bobina até a impressora rotativa, onde então um trabalhador retira a embalagem que a protege. Esse pedaço de papel – onde teve participação humana – será desprezado.

O papel então recebe a impressão dos textos e imagens. Depois a máquina “dobradeira” entra em ação e as edições são cortadas e dobradas. Na dobradeira, garras automáticas pegam os exemplares e, por uma esteira, ele vai até a área de remessa. Os exemplares, de forma automática, são empilhados e amarrados com uma fita plástica resistente. Esses blocos são levados para distribuição, onde nossos entregadores fazem o processo de separação e distribuição utilizando luvas e álcool gel.

No impresso, alguns cuidados

O jornal em papel, por ser um produto seco, sem umidade, tende a oferecer um risco baixo de contágio, principalmente aquele que chega na sua casa ou é comprado no posto de venda, sem passar pelas mãos de muitas pessoas num mesmo estabelecimento comercial. Ainda assim, é possível e recomendado tomar alguns cuidados especiais neste período.

Para quem estar trabalhando em home office, a limpeza do computador ou notebook pode ser essencial

Neste momento de especial higiene respiratória, é indicado evitar encostar as mãos no rosto durante a leitura do jornal. Sabe aquela prática – comum – de molhar a ponta dos dedos na língua antes de folhear as páginas? Não faça isso. Também evite ler o jornal durante as refeições. Sabemos o quanto jornal combina com aquela xícara de café logo pela manhã, mas, vamos deixar esse hábito antigo de lado por um tempo? Só algumas semanas! O ideal nesta fase crítica é abrir o jornal em uma superfície lisa, como uma mesa, que possa ser higienizada em seguida. Terminada a leitura, descarte e lave as mãos com água e sabão. As folhas não devem ser utilizadas para embalar utensílios dentro de casa ou forrar o chão.

No online, higienização dos aparelhos
Para quem consome o noticiário de forma online também é indicado alguns cuidados. Computadores, celulares e tablets passam muito tempo sendo tocados, às vezes por mais de uma pessoa, e costumam transmitir vírus e bactérias. Higienizá-los com frequência é necessário independentemente do Covid-19. Higienizar seus dispositivos pelo menos uma vez por semana depois de sair de casa ou ter contato com outras pessoas pode ser essencial no cuidado contra o novo vírus. O álcool utilizado para limpeza de eletrônicos deve ser 70%.

Ao higienizar o celular, use uma flanela macia e tome cuidado para não alterar a funcionalidade da tela

Esses aparelhos necessitam de muita delicadeza na hora da higienização. Não se esqueça de, antes de qualquer coisa desligar o aparelho e o desconectá-lo de carregador, fone de ouvido ou tomada. Retire também capas protetoras no caso dos celulares, pois essas devem ser higienizadas separadamente. Use uma flanela macia e limpa, a fim de não arranhar ou prejudicar o funcionamento da tela. Juntamente do álcool, pode ser utilizado uma mistura de água morna com detergente neutro, a fim de umedecer a tela. Mas não a molhe em excesso para estragar o equipamento. A mistura deverá ser fraca o suficiente para não formar espuma. Não esfregue a flanela com força. Após o processo, utilize outro pano macio e dessa vez seco, para finalizar a higienização.

Os teclados e mouses de computadores são mais resistentes que smartphones. Antes de começar a higienização, retire a poeira que fica entre as frestas do teclado ou mouse, para que a limpeza seja mais eficiente. Serve de pincel até aspirador de pó. Após, o álcool pode ser o mesmo que nos celulares, a flanela também deve ser úmida.

Bobinas de papel estão armazenadas há três meses

Deixe seu comentário