Foto: Arquivo Ibiá

A Vigilância em Saúde de Montenegro encontrou quatro focos de Aedes aegypti no município. Em amostras, coletadas pelos Agentes de Combate a Endemias (ACEs), foram detectadas larvas positivas do mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya em nos bairros Municipal e Panorama. Em caso de denúncias, a população pode entrar em contato com a Vigilância pelo telefone 3632-1113.

Três focos foram encontrados nas ruas Jardim, La Paz e Antônio Lisboa, todas no bairro Municipal. O quarto foco foi detectado na rua Heitor Müller, no bairro Panorama. A Vigilância Sanitária alerta para que toda a população, e principalmente os moradores dos bairros atingidos, redobrem a atenção e as atuações de combate ao agente transmissor. “A comunidade deve permanecer alerta”, enfatiza a Chefe da Vigilância Sanitária do município, Silvana Schons.

Nesta época do ano, a tendência é de aumento dos surtos de doenças transmitidas pelo inseto. Para evitar a proliferação do Aedes, a Vigilância em Saúde de Montenegro aposta no controle do vetor durante todo o ano e irá reforçar as ações no bairro atingido e nos arredores. Esse combate é focado nas visitas aos pontos estratégicos, visitas domiciliares, monitoramento da infestação, ações educativas em escolas e empresas, entre outras.

Dengue
A versão clássica da doença é a forma mais leve, sendo muitas vezes confundida com a gripe. Os sintomas podem durar de cinco a sete dias, apresentando sintomas como febre alta (39° a 40°C), dores de cabeça, cansaço, dor muscular e nas articulações, indisposição, enjoos, vômitos, entre outros. Já a dengue hemorrágica acontece quando a pessoa infectada com dengue sofre alterações na coagulação sanguínea. Se a doença não for tratada com rapidez, pode levar à morte. É mais comum quando a pessoa está sendo infectada pela segunda ou terceira vez. Os sintomas iniciais são parecidos com os da dengue clássica, e somente após o terceiro ou quarto dia surgem hemorragias. Ocorre, ainda, uma queda na pressão arterial.

Zika vírus
O Brasil notificou os primeiros casos de Zika vírus em 2015, no Rio Grande do Norte e na Bahia. Os sintomas de infecção pelo Zika vírus são similares aos da dengue, e começam de 3 a 12 dias após a picada do mosquito. Os mais comuns são febre baixa (entre 37,8° e 38,5°C), dor nas articulações e dor muscular. Quando em gestantes, a doença pode causar alterações congênitas nos fetos, o que ocasionou um aumento nos nascimentos de bebês com microcefalia.

Chikungunya
É uma doença de sintomas semelhantes aos da dengue: febre, mal-estar, dores pelo corpo, dor de cabeça, apatia e cansaço. Porém, ela acomete as articulações. O vírus avança nas juntas dos pacientes e causa inflamações com fortes dores acompanhadas de inchaço, vermelhidão e calor local.

Mantenha o Aedes Aegypti longe
– Não use pratinhos sob os vasos de plantas ou coloque areia para não deixar água parada;
– Se acumulou água no pratinho de planta, lave-o com escova, água e sabão;
– Mantenha a lixeira externa bem fechada para não acumular água da chuva;
– Guarde garrafas em local protegido da chuva ou virada para baixo;
– Cuidado com as piscinas, principalmente as sem motor para movimentar a água. A colocação de cloro na água é importante;
– Não deixe lixo acumulado nos pátios nem jogue na rua;
– Limpe as calhas para que elas não represem água;
– Lave os potinhos de água e comida do cachorro esfregando bem nas bordas;
– Não deixe pneus em áreas abertas. Eles acumulam água e comumente são focos do Aedes Aegypti;
– Cuide dos botes de água dos cães comunitários. Eles também devem ser limpos.

Deixe seu comentário