Constante Xavier adora jogar bolixe no videogame. Fotos: Divulgação/Casa de Amparo

Covid-19 altera a vida de muitos vovôs e vovós que precisam se adaptar ao novo cotidiano

Muitos lares de idosos de todo o País tiveram de transformar suas rotinas devido à ameaça do novo coronavírus, e não foi diferente em Montenegro. Como a Covid-19 afeta mais os idosos, cuidados máximos de prevenção estão sendo tomados para preservar a vida dos vovôs e vovós.

Seguindo as medidas de proteção contra o coronavírus dadas pela Organização Mundial da Saúde, a Associação Beneficiente Casa de Amparo Mão de Deus segue com uma linha rigorosa de higienização e cuidados. São muitas as ações, como disponibilizar álcool gel 70% nos principais pontos de circulação; suspender eventos e cultos religiosos; manter o distanciamento; restrição de visitas para apenas um visitante por idoso; etc. Além de seguir com o procedimento padrão, a instituição com criatividade está buscando manter os idosos ativos e perto da família através da tecnologia, o que segundo a psicóloga da Casa de Amparo, Roberta Nedel, é preciso para lidar com momentos como esse e proporcionar aos idosos ações que os auxiliem.

Lanches especiais foram distribuídos aos idosos da Casa de Amparo Mão de Deus para tornar os dias mais leves

Os idosos da Casa de Amparo dispõem de uso do videogame para realizar exercícios de fisioterapia; uso de chamadas por vídeo para contato com familiares e uso de óculos de realidade virtual para que os idosos tenham experiências como se estivessem fora do ambiente de isolamento. Segundo a executiva de Projetos da instituição, Lilian Druzian, os internos são orientados por um profissional que auxilia na realização de passeios virtuais e nos jogos interativos. “Como as visitas estão muito restritivas e as saídas proibidas, o recurso tecnológico permite que eles vivenciem experiências sem sair do local”, explica Lilian. O equipamento está sendo devidamente higienizado entre um uso e outro, limitando o uso diário, e Lilian relata que os óculos de realidade virtual foram adquiridos recentemente, através de uma verba federal, recurso advindo do Fundo Nacional do Idoso.

Para Constante Xavier o aparelho é muito útil, e ajuda o cérebro de várias maneiras. “Todas as semanas eu jogo bolixe. Aconselho que toda pessoa adquira esta tecnologia, vai gostar de jogar, é um aparelho muito útil”, diz ele.
O recurso foi adquirido ainda em 2019. É comprovado, através de estudos, que permite estimular a função cerebral e promove um sentimento de realização nos usuários, que podem vivenciar diferentes experiências sem sair do lugar. “Jogos, tecnologia e realidade virtual se apresentam como ferramentas para melhorar a qualidade de vida, proporcionar conexões, amenizar saudades e aliviar incertezas/angustias. Mais do que nunca, a tecnologia e a RV promovem o contato dos idosos com o mundo lá fora, expandem suas vivências, proporcionam diversão, conhecimento, ativam memórias afetivas e aproximam deles quem está longe, devolvendo assim o sorriso no rosto e a calma no coração de cada um”, completa a psicóloga.

Outros lares também buscam a aproximação e cuidados redobrados
O processo do envelhecimento naturalmente traz limitações significativas aos idosos. Porém, essas limitações estão mais intensificadas a partir das estratégias necessárias de afastamento familiar/social. Pensando nisso que os administradores de lares buscam meios de aproximação.

Para manter o contato com familiares, ligações por video estão sendo realizadas nos lares de idosos

No Lar Sagrada Família foram suspensas as visitas, mas, para minimizar a saudade, os idosos estão fazendo constantemente chamadas de vídeo e ligações com os seus familiares. “Estamos tentando encurtar essa distância que há entre o vovô e o familiar devido a essa situação”, explica uma das responsáveis pela administração do Lar Sagrada Família de Montenegro, Irmã Maria Alice da Silva. Foi proibida a entrada de qualquer pessoa no Lar, exceto funcionários, que seguem com regras rígidas de higienização. “Estamos disponibilizando máscaras, luvas, eles tão lavando a mão com frequência que é habitual já. Estamos disponibilizando também álcool em gel, assim como sempre tivemos. Já era de uso anterior ao coronavírus”, explica a Irmã.

E além das normas determinas pela OMS, o Lar Sagrada Família ainda realiza as compras via Whatsapp para evitar o maior contato de funcionários com o resto da comunidade. A missa mensal também foi suspensa para evitar aglomerações. “É um momento bem difícil, mas o que a gente tenta fazer é dar mais atenção aos idosos, ajudar eles a ficarem conectados à família, para minimizar a situação”, fala.

O Asilo Recanto das Vovós, antes mesmo de sair o decreto municipal de precauções ao novo coronavírus, já havia adotado todas as prevenções possíveis. Responsável pelo Asilo, Márcia Scherer, comenta que as visitas estão restritas a apenas um familiar por idoso, por no máximo 20 minutos. “Não entra uma pessoa lá dentro que não seja funcionário ou familiar”, diz Márcia.
Os funcionários do Recanto das Vovós também seguem uma medida rigorosa, entrando pelos fundos e realizando a troca de roupa e calçados. Com álcool gel disponibilizado para todos e higienização constante de todo o espaço, Márcia confirma que todos os idosos estão com boa saúde. “A nossa preocupação é realmente com eles”, diz a responsável. Nesse intuito que o telefone fica disponível 24h para os idosos matarem um pouco da saudade dos seus familiares e encurtarem a distancia nessa pandemia.

Deixe seu comentário