Juventude aproveitou a superioridade numérica e a mostrou no placar

Jogo válido pela terceira rodada do Campeonato Municipal de Futebol de Pareci Novo ocorreu na tarde deste domingo

Teve de quase tudo no duelo entre Juventude e São José válido pela terceira rodada da categoria Titulares do Campeonato Municipal de Futebol de Pareci Novo na tarde deste domingo, dia 17. Jogando no campo da Sociedade Cultural Despique, o Juventude aproveitou a superioridade numérica em razão da falta de atletas do adversário para fazer 5 a 1 em cima do São José no primeiro duelo do dia. Depois, entraram em campo Guarani e São Pedro, jogo esse que até a publicação desta matéria ainda não havia finalizado.

No sábado, dia 16, pela categoria Titulares, Internacional e Gaúcho empataram em 1 a 1. Vagner marcou para o Internacional e Rafael balançou as redes pelo Gaúcho. No jogo da categoria Veteranos, também no sábado, o São José fez três gols com Michel, Cidinei e Ezequiel e bateu o Guarani, que marcou apenas duas vezes com Jeferson e Valdair.

No começo da tarde deste domingo, sob um forte sol, mas num campo ainda molhado, Juventude e São José protagonizaram um duelo que começou equilibrado. Apesar de o São José criar duas boas chances no início da partida, era o Juventude quem tocava a bola e dava as cartas. Aos 16 minutos, Alef cruzou e Rodrigo Meneghetti apareceu na área para completar e abrir o placar para o Juventude.

Enquanto equipes tiveram 11 atletas em campo, duelo foi bastante parelho

A partir de então, o São José passou a ameaçar mais ao buscar o empate, que saiu num contra-ataque aos 34 minutos. Em velocidade, João Pedro arrancou do meio de campo deixando pra trás seu marcador, driblou o goleiro Adenir e, sob protestos de que a bola havia saído na linha de fundo após o drible, concluiu a jogada para o fundo do gol. A confirmação do gol fez o tom dos protestos por parte do Juventude aumentar até que o treinador da equipe foi amarelado por reclamar das decisões que o árbitro estava tomando.

Antes do apito que marcou o final da primeira etapa, Juventude e São José ainda criaram chances, mas pararam no goleiro adversário, na falta de pontaria ou na dificuldade para finalizar. Isso mudou logo no início do segundo tempo quando, aos 4 minutos, um chutão da zaga do Juventude transformou-se num belo lançamento para Fagner, que ganhou na velocidade, passou pelo goleiro e colocou sua equipe novamente em vantagem no placar.

A situação ficou ainda pior para o São José quando, aos 15 minutos, Josué torceu o braço após uma dividida e teve que sair de campo. De fato, ele foi o segundo atleta a sair por causa de lesão. Ainda no primeiro tempo, Luan, do Juventude, sentiu a virilha e foi substituído. Com estava com o plantel reduzido, a equipe acabou atuando o restante da partida com um jogador a menos. Aos 19 minutos, Rodrigo Meneghetti voltou a marcar para colocar o 3 a 1 no placar a favor do Juventude. Já Fagner marcou o seu segundo aos 26 minutos, colocando o 4 a 1 no placar.

Após diversas tentativas, Alef conseguiu marcar o seu gol e fechou o placar

O último gol da partida foi marcado por Alef, aos 34 minutos, após uma série de tentativas: aos 23 minutos, o número 21 do Juventude arriscou de fora da área e parou nas mãos de José; aos 30, ele perdeu a oportunidade de marcar após a bola passar na sua frente na pequena área; e aos 33, Alef balançou as redes, mas o gol foi anulado porque ele retornava da posição de impedimento. Assim, fechou-se o placar em 5 a 1 para o Juventude.

“Vitória importante”

Capitão do Juventude, Juliano Hensel valorizou a vitória da sua equipe mesmo diante de um adversário desfalcado. “É uma vitória importante. O time deles completo é muito bom, nós tínhamos que fazer os três pontos”, afirmou após o apito final. Para o volante, sua equipe começou o jogo um pouco atrapalhada, mas acabou se ajeitando enquanto a bola rolava e conseguiu traduzir isso na goleada por 5 a 1.

Já o capitão do São José, Augusto Mendel, lamentou o fato atípico de a equipe não contar com mais da metade de seus titulares. Segundo ele, isso ocorreu devido ao feriadão. “No primeiro tempo, com 11 contra 11, conseguimos andar, mas no segundo tempo acabamos cansando. Perdemos um jogador e eles aproveitaram”, analisou. “Agora é jogar o próximo jogo completo e tentar a vitória”, projetou.

Jogo teve mesmo de quase tudo: amarelo para treinador, parada para hidratação, lesões e, até mesmo, cachorro em campo

Deixe seu comentário