Foto Jonas Oliveira

Os recursos do Plano Safra 2017/2018 devem ultrapassar ligeiramente os R$ 200 bilhões do ano passado. A afirmação foi feita pelo Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, durante a 24ª edição da Agrishow, em Ribeirão Preto.

De acordo com o ministro, o que ainda está em discussão é a definição da taxa de juros e a distribuição dos recursos em cada programa do ministério. Em entrevista à imprensa, Maggi voltou a defender que a agricultura familiar seja também integrada ao Mapa e que os agricultores de pequeno porte tenham acesso a novas tecnologias como as divulgadas na feira.

As últimas informações as respeito dos juros são de que os representantes do governo se articulam para que as novas taxas não sejam maiores do que de 2 a 3,5 pontos percentuais acima da meta da inflação prevista para o ano, a qual é fixada em 4,5%. O secretário de Política Agrícola, Neri Geller, afirmou que está sendo descartada a possibilidade da taxa de juros variável.

Já o Ministro Blairo Maggi afirmou que tanto o Banco Central quanto o Ministério da Fazenda buscam manter as mesmas taxas do ano passado, o que levaria o juro real a 5% ao ano. E segundo o ministro da Agricultura, “nas condições do plano 2016/2017, que encerra em junho, o juro real chega a 3%”. E complementa dizendo ainda que “a permanecer a intenção da Fazenda, com juros elevados ainda e com inflação mais baixa, já estamos pensando e falando em um juro real de 5% ao ano, coisa que a agricultura e a pecuária não suportam, e terão problemas que tirarão a renda do produtor rural”.

Deixe seu comentário