Candidata a prefeita fala sobre suas propostas para o futuro do Município

Quem é Juliane Bender?
Meu nome é Juliane Bender. Eu sou mais conhecida por Juli. Tenho 47 anos. Sou filha de agricultores, meu pai, José Imário e a Irene Bender. Convivi e ainda convivo com eles, muito próximos. Eu me criei na comunidade chamada Linha Canavial. Foi onde eu cresci junto com eles, trabalhando na roça. Tenho um filho chamado Pedro, de 12 anos. Sou formada em Administração Hospitalar. Tenho pós-graduação em equipes gestoras de sistemas de serviços de saúde e também no Direito Sanitário. Sou funcionária pública, também, já há mais de 27 anos. Quando eu fiz meu primeiro concurso, nós ainda pertencíamos a Salvador do Sul.

O que a motivou a colocar seu nome à disposição da comunidade de São José do Sul?
A minha vida funcional, na verdade, eu não sou política. Eu sou muito técnica e administrativo. Mas venho desenvolvendo questões políticas desde o meu início de funcionária pública. Eu atuei em diversos setores e onde eu mais me realizei, onde eu mais pude ajudar as pessoas e a desenvolver o meu Município foi na área da Saúde. Então, desde ali, sempre tem uma vontade, assim, de fazer mais. Eu acho que nós podemos fazer mais por São José do Sul.

A senhora é funcionária pública há 27 anos e atuou como secretária de Saúde por 16 deles. No que essa experiência pode lhe ajudar na chefia do Executivo?
Eu acho que o principal legado que a gente traz e que a gente quer desenvolver sempre mais é ouvir a população. Na área da Saúde, muitas vezes, sendo gestora, você também precisa ser muito ouvinte. As pessoas, elas vem carentes. O recurso, às vezes, é pouco. Então, a gente tem que conseguir atender o maior número de pessoas dentro das prioridades de cada comunidade. Eu acho que esse é o maior dom que eu desenvolvi nesses meus anos de profissional na área pública.

Entre os objetivos elencados no plano de governo da sua candidatura está o de elaborar o plano diretor do Município. Por que é importante ter esse plano elaborado?
Está na hora de a gente começar a olhar esse assunto mais de perto. O plano diretor move a cidade. Hoje, a cidade já está crescendo, já está instalada, então mais coisas precisam vir para São José. Seria importante. Acho que poderia até já ter se iniciado esse estudo e a viabilidade desse plano no Município.

Uma das propostas do seu plano de desenvolvimento é reestruturar o programa de bônus incentivo. Por quê?
O nosso Município é, essencialmente, agrícola. Da nossa produção, hoje, o retorno que vem gira em torno de 70, 80%. É um valor considerável que o Município tem para se manter. Nós temos, já, algumas empresas instaladas, empresas de pequeno porte, e temos que buscar mais empresas, inclusive. Mas hoje, nós vemos que a área da Agricultura precisa de um retorno de incentivos…auxílio máquina, reorganizar os protocolos que hoje existem, incentivar o jovem para que fique na agricultura. Hoje, os nossos jovens estão indo embora e, na fonte de riqueza que tem lá, nós precisamos que eles fiquem para desenvolver São José cada vez mais.

Está expresso no plano de desenvolvimento da sua candidatura o desejo de se implantar um distrito industrial. Onde instalá-lo e qual a importância de se ter tal espaço?
Hoje, tem uma área de terra já que existe na localidade de Linha Lerner, bem próximo ao Centro, porém, ele não está estruturado ainda. A ideia do nosso governo seria estruturar essa área industrial e atrair investimentos. Criar, então, um grupo de pessoas que pudesse receber novas propostas e que pudesse realmente efetivá-las em São José do Sul.

A BR-470 passa por diversas localidades e acessos de São José do Sul. Apesar de o trecho ser de responsabilidade do DNIT, o que o Executivo pode fazer para aumentar a segurança de moradores, pedestres e de quem trafega pela rodovia?
Hoje, o nosso Município é cortado de fora a fora pela BR-470. Até agora, em função do DNIT estar assumindo essa BR, a gente vê que eles têm um cuidado maior com a faixa, com placas, com limpeza. O Município, em si, ele não pode atuar em área próxima à BR, mas o que nós podemos fazer é orientar a população para que cuide, orientar as crianças na escola, porque aproximar obras da BR, infelizmente, o Município não pode fazer.

O plano de governo da sua candidatura prevê a criação de um projeto de voluntariado. Quais tipos de ações esse grupo poderia realizar e como o Executivo poderia apoiá-lo?
Nós queremos, principalmente, na área da Cultura, criar uma associação que pudesse contratar pessoas para voltar, de novo, as atividades de coral, do nosso grupo instrumental e dentro do grupo do voluntariado, termos pessoas que nos ajudem em eventos públicos… (como) organização de Natal, organização de eventos para pessoas carentes, enfim, outras atividades na semana do Município. Pessoas que pudessem nos ajudar nesse sentido.

Na área da Saúde, uma proposta apresentada é a de reorganizar o atendimento em postos de saúde do interior. O que é pensado nesse sentido?
Hoje, São José do Sul tem um centro de saúde, que fica lá em Dom Diogo, e três postos de saúde: dois nas Linhas Bonitas, Alta e Baixa, e um em São José do Maratá. Essas comunidades ficam um pouco distantes. Não é muito, mas elas, hoje, não são tão próximas ao Centro. Então, as pessoas que moram ali nos pedem para que tenha um atendimento mais próximo da casa deles. A ideia é, novamente, voltar com um turno fixo de atendimento nesses postos do interior.

Na Educação, é apresentada a proposta de construir uma Escola Municipal de Ensino Infantil (EMEI) em São José do Maratá. Como viabilizar isso? E por que construí-la em São José do Maratá?
São José do Maratá é uma de nossas maiores comunidades. Nós vamos tentar recursos em Brasília, verbas federais, para tentar trazer uma EMEI para São José do Maratá. Hoje, das crianças que vêm de lá, têm um pedido muito grande dos pais de lá, para que tenha esse atendimento na comunidade. Muitas vezes os pais têm que levar a criança até o Centro e depois têm que se deslocar até Montenegro ou pro seu local de trabalho e isso facilitaria e também desafogaria a creche do Centro, a EMEI Laranjinha, que hoje já tem bastante crianças para atender. Então, também melhoraria a qualidade no atendimento dessas crianças.

Na área da Segurança, seu plano de governo apresenta a proposta de se criar uma Lei Municipal para incentivar a vinda e permanência de policiais no Município. Como funcionaria essa lei?
Na verdade o Estado está com esse problema de manter os efetivos nos Municípios. Muitas vezes, nós contamos com o policiamento apenas de Barão, Harmonia ou Salvador do Sul, e ficamos muito tempo descobertos. A ideia seria propor uma lei de incentivo – claro, é um estudo que tem que se fazer – para ver se nós teríamos a possibilidade de ter o efetivo em São José do Sul nas 24 horas.

São José do Sul é um Município relativamente jovem e sempre teve bastante participação das mulheres na política. Por que é importante a mulher participar da política?
Até a gente fica bem feliz, como mulher, que este é um ano em que temos várias candidatas aqui na região do Vale do Caí. Em São José do Sul, as mulheres são empreendedoras. Nós temos várias mulheres a frente de negócios, a frente de entidades, associações e sempre tivemos mulher representando a Câmara de Vereadores, desde a primeira gestão. Agora, então, vamos ter pela primeira vez uma mulher concorrendo à vaga de prefeita. Eu acho que a mulher tem um olhar abrangente, eu acho que nós somos guerreiras, nós podemos e temos condições de representar muito bem a população dos nossos Municípios.

Desses diversos tópicos sobre os quais a gente conversou, quais propostas a senhora elenca como prioridades do seu governo?
O nosso maior olhar vai ser voltado para a Agricultura, para que mais pessoas invistam no Setor Primário. Quanto mais investimento no Setor Primário, mais retorno o Município tem e melhorar eu posso a Saúde, a Educação e a nossa Segurança. E também ter um olhar especial para geração de emprego e renda, que hoje, ainda, muitas das nossas pessoas trabalham fora e acabam só voltando para São José do Sul para dormir ou em finais de semana. A ideia é criar esse emprego em São José do Sul.

A senhora quer deixar uma mensagem final aos eleitores de São José do Sul?
Gostaria de agradecer a toda a nossa população pelas visitas. Estamos sendo bem recebidos, está sendo uma experiência muito boa. E gostaria de reafirmar o nosso pedido de voto, nosso pedido de apoio, para que no dia 15, votem 55.

Deixe seu comentário