Cerca de 100 motociclistas da região se reuniram para homenagear o colega de estrada. Foto: Facebook

ADEUS sobre rodas. Cleiton Specht morreu na ERS – 124, em Harmonia, na tarde de sábado

O trânsito fez nova vítima na região durante o final de semana. O jovem Cleiton Specht, de 23 anos, morreu por volta das 16h desse sábado, dia 28, em um acidente com sua motocicleta, na ERS-124, em Harmonia. No domingo, 29, amigos e familiares do motociclista se reuniram para dar o adeus da forma como ele gostava de aproveitar a vida: andando de moto.

Cleiton Specht tinha 23 anos

O acidente que vitimou Cleiton ocorreu quando ele retornava de um encontro do Grupo Caí no Asfalto Moto, do qual era integrante. Ele se deslocava no sentido Caí/Harmonia quando, próximo ao antigo Salão Harmonia, ocorreu a colisão frontal de sua motocicleta com um GM/Ônix. Com o impacto, a moto partiu ao meio e o jovem faleceu no local.

A condutora do Ônix teve escoriações e, após atendimento, foi encaminhada para registro de ocorrência. As circunstâncias do acidente serão investigadas pela Delegacia de Polícia de São Sebastião do Caí.

Na manhã de domingo, 29, grupos de motociclistas, amigos e familiares participaram de um deslocamento pelas ruas de Harmonia. Cerca de 100 condutores participaram do ato. Os motoqueiros se posicionaram em frente à igreja onde o corpo foi velado. Em suas motos, os companheiros de estrada aguardaram a retirada do caixão para prestar a última homenagem ao harmoniense. O enterro ocorreu às 14h, no Cemitério Municipal de Harminia.

“Ficamos em pedaços. Sempre que possível, Cleiton rodava com os amigos, sorridente, espalhando alegria onde passava. Certamente ele foi fazendo uma das coisas que mais amava”, diz Edineia Dullius, 30 anos, membro do Grupo Caí no Asfalto Moto, e amiga do jovem. Cleiton tinha amigos em vários grupos. “Era uma pessoa muito alegre e carismática. Todos gostavam dele”, diz Cristiano Siqueira, 44 anos, do Moto Grupo Rota 122.

O rapaz morava na localidade de Canto Lerner, situada próximo ao Parque Municipal de Harmonia. Ele trabalhava como motorista de caminhão e também ajudava os pais, na agricultura.

Deixe seu comentário