Um jovem de 18 anos morreu após ser baleado durante uma ação da Brigada Militar em Montenegro, na madrugada deste domingo, 10, por volta de 1h. A vítima, que estava na carona de uma motocicleta, chegou a ser encaminhada ao Hospital Montenegro 100% SUS, mas não resistiu e faleceu no local.

Agentes acompanhavam o veículo e uma viatura tentaram bloquear os suspeitos na rua Waldemar Pedro Stefem, no bairro Santo Antônio. Em um vídeo que está circulando na rede social Whatsapp é possível ver a viatura da BM seguindo a moto e uma segunda parada em frente com os faróis ligados. Na sequência, a moto passa ao lado da viatura parada, e dois disparos são ouvidos. Nenhum do veículos policiais estava com sirene ou giroflex ligados.

O comandante interino do 5º BPM, major Hélio Schauren, alega que os disparos foram em legítima defesa. “O carona fez um movimento com a mão, e isso fez com que a soldado entendesse que ele fosse atirar nela. Nisso, o piloto jogou a moto por cima dela e ela atirou”, explica. O jovem que foi baleado caiu da motocicleta poucos metros a frente, assim como o motociclista, que também tinha 18 anos. Nenhum dos dois possuíam antecedentes criminais, e nenhuma arma foi encontrada com eles.

Segundo o major, desde a última semana a Brigada Militar tinha informações sobre a possibilidade de os tripulantes da moto seguida estarem praticando tráfico de drogas. “Foi feita uma tentativa de abordagem e essa moto furou fugindo de uma outra guarnição e jogou a moto por cima de uma soldado nossa”, diz. Junto com os rapazes foram encontrados 39 pedras de crack, 130 gramas de maconha e uma balança de precisão. De acordo com a Brigada Militar, o motociclista foi preso em flagrante por tentativa de homicídio (por jogar a moto contra a policial), direção perigosa e tráfico de drogas.

O comandante regional, tenente-coronel Márcio José Rosa da Luz já instaurou o inquérito Policial Militar para apurar as circunstâncias do ocorrido. “Nós temos 40 dias para finalizar o inquérito, que pode ser prorrogado por mais 20, mas com certeza será antes do prazo”, fala o major Schauren. Segundo ele, já foram ouvidos os policiais militares que estavam na ocorrência e também é aguardado o resultado da perícia, exame de balística das armas e laudo do Instituto Médico Legal (IML).

Além disso, já foi feito o registro na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA). De acordo com a Polícia Civil, o motociclista optou por ficar em silêncio e não prestar a sua versão dos fatos.

1 comentário

Deixe seu comentário