Inaugurada em 2007, a fábrica montenegrina tem, hoje, 77 mil metros quadrados. É uma das mais modernas instalações industriais agrícolas do mundo. FOTO: JOHN DEERE/DIVULGAÇÃO

Durante reunião-almoço da Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul), o presidente da John Deere Brasil, Paulo Herrmann, trouxe uma importante notícia para o Vale do Caí. A empresa está em fase final de estudos para a ampliação de sua fábrica no Distrito Industrial de Montenegro.

A planta foi inaugurada no Município em 2007, com um investimento de 250 milhões de dólares e já chegou a passar por ampliação anterior, com um aporte de mais 40 milhões que tornou a fábrica destaque mundial no que se refere à eficiência produtiva, tecnologia e capital humana. Nos primeiros dez anos de existência, mais de 100 mil tratores foram montados no complexo montenegrino.

O anúncio da nova ampliação integra o “Factory Master Plan” da multinacional. É um plano de expansão da John Deere que orienta os novos produtos que a fabricante lançara nos próximos cinco anos. Não foram divulgados valores. Junto de Montenegro, também foram anunciados investimentos na unidade de Horizontina, no Noroeste do Estado.

“Recebemos essa informação com alegria, dado o atual cenário econômico vivido pelo Brasil, ainda muito refém das corporações”, comemorou a presidente da Federasul, Simone Leite, com os anúncios feitos pela empresa.

Segundo especialistas, o anúncio da ampliação da fábrica local é reflexo de uma investida da concorrente, AGCO, que foi ultrapassada pela John Deere há dois anos como a principal fabricante de tratores no Brasil; também com fábrica no Rio Grande do Sul. A constatação se deu a partir da declaração de Herrmann durante a reunião-almoço onde foram dadas as novidades: “Toda vez que eu vejo um competidor trazendo novas tecnologias ao mercado e apostando nele, é o estímulo que eu preciso para fazer o mesmo”, disse. Hoje, cerca de mil pessoas estão empregadas na fábrica de Montenegro.

Deixe seu comentário