João Pedro Thomé é um dos principais destaques do Estado em sua categoria no arremesso de peso

Arremesso de peso. João Pedro Thomé vai disputar a Etapa Regional na próxima semana

Uma pedra pode ser considerada um artefato perigoso por muita gente, mas para o jovem João Pedro Thomé, 14 anos, é um acessório fundamental para seus treinamentos e seu desempenho destacado no arremesso de peso. Aluno da Escola Maria Josepha Alves de Oliveira, de Montenegro, João é destaque na modalidade no município e conta as horas para a disputa da Etapa Regional dos Jogos Escolares, que acontece na próxima segunda-feira, dia 23, na Unisinos, em São Leopoldo.

João Pedro começou a estudar na Maria Josepha em 2018. Apaixonado por esportes, sempre gostou de correr, jogar futebol e vôlei. Porém, na instituição localizada na zona rural, conheceu uma nova modalidade: o arremesso de peso. Em uma aula de Educação Física, o estudante e seus colegas foram levados ao Parque Centenário pela até então professora da disciplina na escola, Goldie Escobar. Hoje, a tarefa cabe a Adiocélia Albuquerque.
O arremesso de peso estava entre as modalidades de atletismo praticadas naquele dia pela garotada. Com uma pedra, os alunos aprenderam o movimento e tentavam arremessar o objeto o mais longe possível. Quem se destacou? João Pedro Thomé. Apesar disso, o jovem mal sabia que aquele primeiro contato com o esporte seria o ponto de partida para conquistar medalhas e fazer planos. Ele quer ser referência no país nesta modalidade.

Ainda no ano passado, João Pedro foi campeão no arremesso de peso da Etapa Municipal dos Jogos Escolares na categoria Infantil. O resultado o levou para a Etapa de Coordenadoria. Um dos mais novos da disputa, o montenegrino ficou em quarto lugar e não conseguiu a classificação à terceira fase.
Em 2019, o aluno intensificou a preparação com o objetivo de chegar mais longe nos Jogos Escolares. João Pedro treina em casa, com uma pedra que pesa cerca de 4 kg (mesmo peso da bola que é utilizada nas disputas da sua categoria). “Treino quase todos os dias no pátio de casa. Meu pai tem uma trena, que uso para medir a distância. Nesse esporte, é necessário força, equilíbrio e técnica”, destaca o garoto.

Os incansáveis treinamentos vêm dando resultado. Na Etapa Municipal dos Jergs, João Pedro não deu chances para seus oponentes, assim como em 2018. Na segunda fase, a Etapa de Coordenadoria, disputada na Unisinos, o aluno da Maria Josepha conquistou o primeiro lugar, com um arremesso de 11 metros e 15 centímetros de distância.

Aluno de 14 anos já conquistou três medalhas nos Jogos Escolares e vai em busca da quarta, na próxima segunda-feira

O bom desempenho garantiu João na terceira fase dos Jergs, a Etapa Regional, que será disputada na próxima segunda-feira, novamente em São Leopoldo. “Amadureci bastante no esporte. Meus pais, os professores e a diretora me apóiam bastante. Assisto a muitos vídeos no YouTube para aprender mais técnicas da modalidade. Quando estou competindo, prefiro ser um dos últimos a arremessar, para observar os outros atletas”, afirma.

Focado na busca pelo título da terceira etapa, o garoto ressalta que cada centímetro faz a diferença nesse esporte e projeta a disputa que pode garanti-lo na Etapa Final Estadual dos Jergs. “Para ganhar, acredito que preciso realizar um arremesso de 11m30cm”, avalia.

Diretora Juliane Maron é uma das incentivadoras

Diretora destaca os feitos de João Pedro
Uma das incentivadoras de João Pedro Thomé, a diretora da Escola Maria Josepha Alves de Oliveira, Juliane Beatriz Maron, enaltece as recentes conquistas do aluno nos Jogos Escolares. “Os resultados vêm do esforço de cada um. Nós somos uma escola rural, e essa visibilidade para os alunos é muito boa. Eles conhecem uma universidade, almejam o futuro. Essa é uma geração que utiliza muitos eletrônicos, por isso incentivamos sempre a prática de diversos esportes”, salienta.

O transporte e o acesso são duas das dificuldades que a escola Maria Josepha enfrenta para levar os alunos para competições esportivas. Apesar disso, a instituição não mede esforços para ver seus alunos no topo do pódio. “Estamos realizando a ampliação da escola para proporcionar que os estudantes descubram o que gostam no esporte. O destaque e o reconhecimento são importantes para a autoestima”, completa a diretora Juliane.

Saiba mais
Desde a Grécia Antiga, existem menções a arremessos de pesos. Homero fala de competições usando pedras entre soldados gregos durante o cerco de Tróia, mas não existe registro de arremessos praticados durante os Jogos Olímpicos da Antiguidade.
– As primeiras evidências de disputas vem das Highlands, na Escócia, e datam aproximadamente do século I da Era Cristã. No século XVI, o rei Henrique VIII, da Inglaterra, já participava de competições na corte praticando o lançamento de martelo.
– Os primeiros eventos que têm semelhança com o moderno arremesso de peso ocorreram na Idade Média, quando soldados competiam jogando balas de canhão o mais longe possível.
– No início do século XIX, escoceses promoviam torneios onde atiravam cubos, pedras ou metais arredondados à distância por trás de uma linha.
– Os primeiros registros da competição como é conhecida hoje vêm da Escócia do início do século XIX e depois se tornaram parte do Campeonato Britânico Amador de Atletismo, iniciado em 1866.
– Integrando os Jogos Olímpicos desde Atenas 1896, só em Londres 1948 passou a ser disputado pelas mulheres. Robert Garrett, dos Estados Unidos, e Micheline Ostermeyer, da França, foram os primeiros campeões olímpicos.
– Alguns dos grandes nomes na história da modalidade são Ralph Rose, Parry O’Brien, Ulf Timmermann, Tomasz Majewski, Tamara Press e Valerie Adams.

Deixe seu comentário