FOTO: ARQUIVO/JORNAL IBIÁ

Segunda maior empresa de alimentos do mundo e uma das principais organizações de Montenegro, a JBS anunciou um compromisso global de se tornar “Nat Zero” até 2040. Quer zerar o balanço de suas emissões de gases do efeito estufa, reduzindo emissões diretas e indiretas; e fazendo compensação de toda a emissão residual. O compromisso foi formalizado em comunicado ao mercado entregue à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nessa semana. A meta Nat Zero não inclui somente as operações da JBS pelo mundo, mas engloba toda a cadeia de valor, com os produtores e demais fornecedores.

“As mudanças climáticas são o grande desafio do nosso tempo e devemos agir com urgência para combater seus efeitos negativos”, disse Gilberto Tomazoni, CEO global da JBS. “Como uma das mais diversificadas empresas globais de alimentos, temos a oportunidade de usar nossa escala e influência para ajudar a liderar uma transformação sustentável dos mercados agropecuários que empodere produtores, fornecedores, clientes e consumidores. A agropecuária pode e deve ser parte da solução climática global.”

A empresa vai investir, na próxima década, 1 bilhão de dólares em soluções que visem reduzir as emissões de carbono em suas operações, engajando colaboradores e financiando projetos. A meta é, até 2030, ter uma redução de, pelo menos, 30% nas emissões de escopos 1 e 2; na comparação com os índices de 2019. A empresa também se comprometeu a usar 100% de eletricidade renovável até 2040; zerar o desmatamento em sua cadeia de fornecimento global até 2035; e ainda investir em pesquisa de práticas agrícolas regenerativas, projetos de intensificação de sequestro de carbono no solo e outras tecnologias.

Deixe seu comentário