Uso de máscara será obrigatório na escola por 15 dias. Foto: arquivo Ibiá

Nesta semana, a Escola Estadual Coronel Januário Corrêa, do bairro São João, voltou a exigir o uso de máscara após a confirmação de três casos de Covid-19 e outros suspeitos em uma mesma turma das séries finais. A diretora da instituição, Paula Müller, conta que após a confirmação dos casos a escola buscou orientação junto a 2º Coordenadoria Regional da Educação (CRE) a Vigilância Sanitária do município. “A orientação da Vigilância foi que a turma com os casos confirmados deveria permanecer em casa por dez dias. Também passaram a orientação de voltar com o uso obrigatório de máscara por 15 dias e pedir para os pais que as crianças com sintomas gripais fiquem em casa”, afirma Paula.

Na última quarta-feira, 11, as turmas do turno da manhã foram liberadas para uma higienização em toda a escola. A vice-diretora, Jane Teixeira, ressalta que a instituição não vive um surto de Covid-19, mesmo assim é importante que os alunos com algum sintoma da doença fiquem em casa. “A gente pede que os alunos que tem algum sintoma ou algum caso suspeito na família fiquem em casa. Esse é um cuidado que deve ser adotado sempre pelas famílias”, ressalta Jane.

De acordo com a Secretaria Estadual da Educação (Seduc), a orientação para as escolas estaduais em relação aos casos de Covid-19 segue a normativa estabelecida pela Secretaria Estadual da Saúde (SES). “Em caso de sintomas, deve ser realizado o isolamento de 7 a 10 dias a partir do início dos sintomas e a utilização de máscara”, destaca a Seduc. Conforme a pasta, o cenário de aumento de casos reforça a necessidade do esquema completo de vacinação.

Apenas 25% das crianças estão com esquema vacinal completo em Montenegro

A situação na escola Januário Corrêa fez com que a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Montenegro ressaltasse a importância da vacinação de crianças e adolescentes. Os números, no Município, não são muito animadores. De acordo com a chefe do setor de Imunizações, Nicole Ternes, a vacinação de adolescentes é considerada regular. No entanto, são preocupantes os números da imunização infantil. Para a servidora, é necessário que haja uma atenção maior dos pais para garantir que a criança seja vacinada para auxiliar na contenção do vírus. “As mortes (por Covid) de crianças são mais raras, mas as vacinas ajudam para que os pequenos não sejam vetores da doença”, enfatiza Nicole, explicando que a vacina inibe que a criança passe a doença para idosos ou pessoas do grupo de risco.

A chefe do setor de Imunizações também ressalta que as vacinas são seguras e estão disponíveis por livre demanda no município. “Antes aplicávamos por agendamento. Agora, quem procurar um dos postos (ESFs 1 e 3) pode realizar a aplicação na hora”, enfatiza. Outra diferença é que as crianças não precisam mais aguardar 15 minutos, na unidade, após a aplicação da dose. “É importante que haja uma conscientização das pessoas para que possamos manter a nossa rotina na normalidade”, destaca Nicole.

Confira os locais de vacinação Infantil

Crianças de 5 a 11 anos (Doses 1 e 2)

ESF 1 Germano Henke – 8h às 11h30

ESF 3 Industrial – 8h às 11h30 e das 13h às 16h30

Deixe seu comentário