FOTO: Reprodução Internet

Vitória levou centenas de apoiadores às ruas em comemoração com foguetório

CAIRO defende um país mais conservador nos costumes

Depois de 14 anos de governos esquerdistas, com o PT de Lula e Dilma, e mais dois da gestão interina de Michel Temer, do MDB, o Brasil conhecerá, a partir de janeiro, a ultradireita no poder. Jair Messias Bolsonaro, do Partido Social Liberal, foi eleito ontem para a presidência da República com 55% dos votos válidos, ao derrotar o candidato do PT, Fernando Haddad, no segundo turno do pleito. O novo vice-presidente é o general Antônio Hamilton Mourão.

Já na disputa estadual, nova alternância no poder. De 2019 a 2022, o governo gaúcho estará sob a responsabilidade de Eduardo Leite, do PSDB, que derrotou o atual governador e candidato à reeleição, José Ivo Sartori, com 53% dos votos válidos. Seu vice é o delegado da Polícia Civil, Ranolfo Vieira Junior, do PTB.

Em Montenegro, as urnas repetiram os números finais da disputa para o governo do Estado. Eduardo Leite conquistou 53,11% dos votos, contra 46,89% de José Ivo Sartori. Já para a Presidência, a vantagem de Bolsonaro foi bem maior. O presidente eleito fez 67,35% dos votos, enquanto Fernando Haddad, do PT, chegou ao fim da disputa com 32,65%.

Maísa espera que o candidato eleito leve o Brasil para um caminho melhor

Tão logo a vitória de Bolsonaro foi matematicamente confirmada, centenas de pessoas foram até a Praça Rui Barbosa para comemorar. Houve intensa queima de fogos e carreata em diversos pontos da cidade. Um dos apoiadores do “capitão” em Montenegro, Cairo Ernesto Brito, 31 anos, mostrou-se muito satisfeito com o resultado das eleições. “Já são três anos apoiando (Bolsonaro)”, revelou. “Agora realmente a gente vai conhecer a Democracia. Vai ter o mesmo peso para a direita e para a esquerda”, acrescentou. Ele destacou ainda que, com Bolsonaro, o Brasil poderá experimentar uma economia liberal e ser conservador nos costumes.

Quem também foi à Praça Rui Barbosa foi Maísa Krugmann, 29 anos. Com uma camiseta estampando o rosto de seu candidato, ela disse esperar um país melhor. “Com mais segurança, mais respeito e, principalmente, mais educação”, elencou. “Estou muito feliz (com o resultado)”, garantiu ela, que foi à comemoração junto com o esposo e a filha.

FORAM poucas filas, como a registrada na Escola Iara Gaya, mas como o processo era rápido, não houve longas esperas

ÚLTIMOS NÚMEROS
Para governador
Eduardo Leite – 53,62% – 3.128.317
José Ivo Satori – 46,38% – 2.705.601
* 100% dos votos apurados
Para Presidente
Jair Bolsonaro – 55,18% – 57.713.007
Fernando Haddad – 44,82% – 46.875.607
* 99,99% dos votos apurados

Eleição tranquila nas cinco cidades que compõem a 31ª Zona

NA ESCOLA Beato Roque, centro de Pareci Novo, esse eleitor esperou sentado

O segundo turno da Eleição 2018 – para governador do Estado e presidente da República – foi tranquila nas cinco cidades da 31ª Zona Eleitoral (Montenegro, Pareci Novo, Brochier, Maratá e São José do sul). As únicas filas foram daqueles eleitores que chegaram antes das 8 horas, mas logo que o pleito foi aberto, foram dissolvidas. Até o meio-dia, haviam ocorrido apenas duas substituições de urnas nas 104 seções em Montenegro, nas escolas Walter Belian e Cinco de Maio, o que ocasionou um pouco mais de espera nessas seções.

ELEITORES foram chegando aos poucos, evitando as filas no início da manhã

Ao todo, porém, foram seis. Na região, foi preciso também substituir quatro mesários, que por algum motivo não compareceram ao trabalho voluntário.

A serenidade transformou o dia de eleição em um domingo em família, com crianças acompanhando os pais às seções.

KELEN Marmitt levou a filha Manuela, de 4 anos, para já se sentir cidadã

Na Escola Municipal Walter Belian, Manuela Marmitt até levou e entregou o título da mãe ao mesário. “Eu acho importante ela vir junto. É cidadã desde cedo”, defendeu a mãe Kelen Marmitt, 44 anos.

Ela lembra que a menina de 4 anos é muito parceira e, inclusive, pede para ir junto e ver a mãe votar. “Eleição é uma coisa de família”, ressaltou a eleitora. A presença dos filhos é permitida, no entanto não podem entrar junto no espaço da urna. Em todas as seções pelas quais a reportagem passou, o clima era esse: famílias aproveitando o domingo de sol.

CARTAZES nos locais de votação informaram direitos e deveres aos eleitores

Um chimarrão na mão, o encontro para bate-papo com o amigo confirmavam esse tom de tranquilidade. Nas ruas, foram vistos poucos eleitores identificados com seus candidatos. Os poucos materiais de campanha e camisetas identificavam a preferência do eleitor na disputa pela Presidência. Algumas pessoas carregavam livros.

Durante todo o dia, as filas foram curtas, dificilmente chegando a dez pessoas. Não foram necessários mais que dois minutos para votar. Entre os eleitores, consenso sobre o fato de que, no segundo turno, com apenas dois votos, o sistema de urna eletrônica garantiu agilidade.

SEÇÃO 082, no Walter Belian, foi uma que teve troca de urna pela manhã, o que provocou uma pequena fila, rapidamente dissipada após a substituição

Deixe seu comentário