Deterioração da sobra de asfalto usado em projeto “tapa-pó” agora virou outro obstáculo

Chão batido. Trecho rural da BR-470 é certeza de prejuízo aos agricultores da Fortaleza

Por enquanto ainda é promessa sem prazo, mas o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) estuda melhorias no trecho rural da BR-470. Poucos sabem, mas a estrada de terra que dá acesso às localidades de Fortaleza e Passo da Pimenta (a partir do trevo da ERS-124, no bairro Aeroclube) é uma rodovia federal. O trecho montenegrino de 12,7 km acaba na BR-386; para recomeçar em Triunfo, na localidade de Barreto.

A reportagem constatou inclusive que alguns moradores não sabem da jurisdição federal, conhecendo-a como Estrada Interventor Cylon Rosa. Diferente do produtor rural Pedro Wollmann, que tem sido uma das vozes a exigir melhorias. Ele é membro da Associação Montenegrina de Fruticultores, que tem sede na rodovia e cujos veículos dividem o trajeto com caminhões que escoam produção de lenha, frutas e sucos processados, frango, gado e leite.

Motoristas de caminhões procuram o acostamento para fugir dos buracos e parte de atoleiro

“Esses dias não conseguimos subir de caminhão. Precisei puxar com o trator”, relatou, ao lembrar que já socorreu outros motoristas empenhados devido aos buracos e atoleiros. No último contato, o Dnit disse que o contrato de concessão à empreiteira encerrou em março. “Mas desde dezembro não se vê mais nada de trabalho de manutenção aqui”, garante Wollmann.

O traçado original da BR-470 cruza a área central e bairros de Montenegro. Tanto que é conhecida como Buarque de Macedo, nome da rua de acesso à cidade. O mesmo nome é encontrado no Centro de Garibaldi, onde a via que interligava toda esta região é novamente uma rua cercada de casario antigo.

Asfalto é sonho
Por meio da Unidade de São Leopoldo, a autarquia confirmou a existência de projeto de execução dos serviços de manutenção (conservação e recuperação, com patrola e colocação de material) no trecho entra os quilômetros 297,4 e 366,7. O processo licitatório está em fase de preparação do Edital para chamamento das empreiteiras.

O ponto é exatamente aquele que corta as localidades interioranas de Montenegro. Mas o que dá real motivo de esperança é a hipoetese de pavimentação. O pedido de asfaltamento feito pelos moradores, inclusive através do gabinete do vereador Joel Kerber (PP). Ao Ibiá, o Dnit confirmou que seus técnicos trabalham na elaboração de Estudo de Viabilidade Técnica Econômica e Ambiental (EVTEA) para a realização desta obra.

Deixe seu comentário