Polícia, Brigada, Acidente, Assis Brasil, Santos Dumont

Susto. Morador estava fazendo almoço quando veículo invadiu sua propriedade

Um acidente de trânsito por volta do meio-dia de ontem no cruzamento das ruas Assis Brasil e Santos Dumont, no Centro, resultou em uma cena curiosa. Isso porque um dos veículos envolvidos, um GM Celta, com placas de Novo Hamburgo, entrou no pátio de uma residência localizada bem na esquina das duas vias.
A batida envolveu também um Chery Face, com placas de Montenegro. Os veículos eram conduzidos por duas mulheres, que não ficaram feridas. Elas se negaram a fornecer o nome e a idade. A motorista do Celta apenas informou que subia a Santos Dumont, em direção a Apolinário de Moraes, quando se chocou com a lateral esquerda do Chery Face.

Ela afirmou que pisou no freio, mas o pedal não reagiu, não conseguindo evitar o choque. Depois da batida, o carro fez uma volta e entrou no pátio de uma casa localizada no lado contrário, derrubando um muro de tijolo e uma cerca de tela. Neste cruzamento a preferencial é da Assis Brasil. Nas duas esquinas da Santos Dumont, com a via citada anteriormente, há placas de Pare alertando sobre a parada obrigatória.

Proprietário do imóvel que teve o pátio invadido, o serigrafista Joel Eckert, 39 anos, conta que estava fazendo almoço quando ouviu o barulho do acidente. Morando há 33 anos ali, ele afirma que o local é palco de batidas frequentes, mas sem tamanha violência. É apenas a segunda vez que um automóvel invade seu terreno.

“O pessoal não respeita o cruzamento. A minha avó de 96 anos costuma sentar em uma cadeira ali perto. Felizmente ela não estava no local”, observa. Surpreendido com o acidente, agora Joel espera que o seu prejuízo seja ressarcido pela causadora.

Enquanto observava a cena, o serigrafista encarava o problema com bom humor, brincando que começará a providenciar uma nova entrada de garagem para sua casa, já que a atual fica mais adiante. Um vizinho passou pelo local e brincou com o Joel perguntando quanto cobraria para estacionar no terreno.

Deixe seu comentário