entre as sete oficinas ministradas na recepção aos estudantes, umas delas abordou o empreendedorismo

Diversas atividades foram ofertadas durante o primeiro dia de aula, ontem

No laboratório de Química do Instituto, os estudantes puderam participar de diversos tipos de experimentos

Muita arte, experimentos, tecnologia, empreendedorismo e linguagens marcaram o início do ano letivo no Instituto de Educação São José, ontem, 19. Aproximadamente 500 alunos puderam participar de diferentes oficinas e atividades integrativas nos turnos da manhã e tarde, rever os amigos e compartilhar as novidades das férias.

Vinda do Sinodal de Portão, Maria Augusta Müller da Silva, 14 anos, estreou no 9° ano do São José nesta segunda-feira. Segundo a jovem, as expectativas para o ano letivo são as melhores, assim como foi a sua recepção no colégio. “A escola é muito legal. Eu já tive a oportunidade de conhecê-la anteriormente, pois minha mãe trabalhou aqui. Já no primeiro dia, fiz várias amizades. Os professores, assim como os colegas, são muito queridos e atenciosos. Adorei as oficinas, muito diferentes do método da outra escola”, afirma.

Diego Cardoso Belló destaca a emoção do primeiro dia de aula

Participando também com muita empolgação, Diego Cardoso Belló, 11 anos, destaca a emoção do primeiro dia de aula. Aluno desde o 1° ano no São José, ele tem Ciências como matéria preferida. “E pretendo seguir a profissão de chef de cozinha. Já sei preparar massas, omeletes e molhos”, pontua, arriscando sobre o futuro profissional.

Assim como Diego, Érico Klein Silveira, 16 anos, aluno do 2° ano do Ensino Médio, tem decidida a carreira: quer atuar em algum ramo da Engenharia. “Estudo aqui desde os quatros anos. A expectativa para o decorrer do ano é boa. Que todos tirem boas notas, para concluirmos juntos”, deseja.

Para a diretora Maria Helena Schüler Luft, e a coordenadora geral, Mônica Patrícia Metz, o papel da escola é exatamente esse: o de preparar o aluno para ser cidadão, para as possibilidades do mundo. Durante todo o ano, o projeto pedagógico da instituição será focado no protagonismo do estudante no seu processo de ensino-aprendizagem. “Com professores que também são protagonistas e problematizadores. Nós compreendemos que a aprendizagem se dá de forma significativa quando estiver integrada à vivência. Há mais consistência, forma seres empreendedores, criativos, capazes de solucionar problemas”, destaca Maria Helena.

Para a nova jornada letiva, os 55 professores se prepararam durante três dias de seminário, debateram as práticas pedagógicas e planejaram as atividades para o ano. “Temos todos os instrumentos de ensino disponíveis aqui no São José. O espaço também foi revitalizado para que, agregado ao aprendizado, o aluno sinta-se à vontade, buscando nesse espaço o conhecimento que precisa”, pontua a coordenadora.

Deixe seu comentário