A operação contou com apoio da Delegacia Penitenciária Regional (DPR), que forneceu horas extras e uma viatura para execução do trabalho

MAIS DE 20 cidades foram alvos da ação dos agentes, somente um dos 63 listados não foi encontrado

O Instituto Penal de Montenegro concluiu na manhã dessa terça-feira, 28, a operação Lar doce lar. A iniciativa tem como objetivo averiguar os endereços informados pelos apenados que cumprem prisão domiciliar. Ao todo 23 cidades foram alvo da operação que checou endereços de 63 indivíduos. Apenas um dos apenados não foi localizado no local onde deveria residir, no município de São Leopoldo.

A operação Lar doce Lar teve início no dia 14 de abril, e contou com a participação de 11 agentes do Instituto Penal de Montenegro. A ação foi possível graças ao apoio da 1ª Delegacia Penitenciária Regional (DPR), através do delegado Benhur Calderon, que disponibilizou uma viatura e horas extras para que os servidores pudessem executar o trabalho.

A logística da operação adotou um rodízio de equipes, formadas por quatro agentes, que visitaram quatro endereços por dia. “Eram muitas vilas, locais de difícil acesso. Em Viamão, São Leopoldo e Novo Hamburgo, eram lugares bem perigosos. Mas graças a Deus deu tudo certo”, diz o diretor do Instituto Penal de Montenegro, Nairo Resta Ferreira. “Sou privilegiado em ter essa equipe de trabalho. Tudo que a gente faz sempre dá certo porque a equipe é muito boa”, acrescenta.

Para Nairo, a operação obteve grande êxito em seu propósito. Em relação ao indivíduo não localizado, providências já foram tomadas. “Tentamos localizar ele através de parentes e não conseguimos. Agora a gente aguarda a posição da juíza. Se a prisão domiciliar for revogada, ele será procurado como foragido da justiça”, explica o diretor do Instituto. “Achávamos que teríamos mais dificuldade para encontrar os endereços. Ficamos bem surpresos por que todos estavam em casa. A operação foi um sucesso”, conclui Nairo.

Deixe seu comentário