JUNTO das 10 meninas que participaram do Baile de Debutantes, fotógrafo Dionathan Santos valoriza a integração que o evento promove às jovens. Foto: Divulgação Dionathan Santos

Debutar. Montenegrina esteve entre as 10 selecionadas para festa coletiva, iniciativa do fotógrafo Dionathan Santos

O último domingo, 30, foi de muita magia, sonhos realizados e festa com o baile de debutantes das pacientes do Instituto do Câncer Infantil (ICI).
Vestidos bufantes, com muitas cores, tornaram o evento dos 15 AnosDourados, iniciativa do fotógrafo Dionathan Santos em parceria com ICI, uma data inesquecível para 10 meninas. A celebração integrou a campanha Setembro Dourado, de conscientização ao câncer infantojuvenil.

E entre as jovens, a montenegrina Janice Teresinha do Nascimento, moradora da localidade de Muda Boi, pode viver um dia de princesa, com direito a maquiagem, traje a rigor, muitas fotos e limusine para ir até a festa. Essa foi a segunda edição do baile, em que parceiros e voluntários se mobilizaram para realizarem a festa às meninas assistidas pelo ICI.

“Eu nunca pensei em ter uma festa, com vestido e essas coisas. Mas achei legal quando soube, no meio do ano, através da Maria Bernadete, do Instituto. E minha família me motivou bastante a participar, me deu todo o apoio”, explica a jovem.

Com 15 anos completos, Janice, curada de uma leucemia, precisa fazer acompanhamento periódico no hospital. “Eu fiz tratamento por dois anos. E uma vez por ano eu volto ao Instituto para os exames. Todo o processo de cura para mim foi normal, eu aceitei o tratamento e achei que passou rápido. Mas a notícia de estar curada dá um alívio na gente”, confessa a jovem Janice.

Para todos que têm algum desejo a ser realizado, a jovem é a mais positiva possível. “Eu dou um conselho para que as pessoas nunca desistam dos seus sonhos, porque nada é impossível”, conclui.

De acordo com o fotógrafo Dionathan, uma das importâncias de promover o evento é a integração entre as meninas. “Primeiro porque algumas já passaram pela doença, outras estão passando ou receberam o diagnóstico e passarão. Essa integração serve para uma dar apoio à outra, o que é um fator muito importante. Também há a questão de valorização do ser humano; valorizá-las. Desde o book fotográfico, o salão de beleza, o vestido; isso mexe com a autoestima das meninas, o que ajuda muito a todas elas”, explica o profissional da fotografia.

Deixe seu comentário