As obras de restauração da Casa do Chefe da Estação iniciaram, com o tempo favorável, nessa quinta-feira, 14

Essa fase abrange a Casa do Chefe da Estação

Ponto de encontro entre amigos, chimarrão com a família ou só aquela respirada básica para desestressar, a Estação da Cultura é um dos lugares mais queridos pelos montenegrinos. Nessa quinta-feira, 14, iniciaram as obras da 4ª etapa de restauração do seu complexo arquitetônico que irá abranger o projeto denominado Casa do Chefe da Estação.

A restauração ocorre no ano do cinquentenário da Entidade de Filantropia, Cultura e Arte (Efica), que organiza todo o projeto. Com o trabalho voltado à cultura e arte no município, este já é o quarto prédio a ser restaurado pela entidade em parceria com a Braskem e com a Prefeitura Municipal de Montenegro. De acordo com a presidente da Efica, Clarice Biehl, a Casa do Chefe da Estação é mais um espaço para a comunidade usar em palestras, reuniões, eventos culturais e oficinas. “Vão ter também banheiros com acesso externo para a comunidade usufruir nos horários em que a Estação está fechada”, diz.

Bastante antigo, o prédio estava se deteriorando com o tempo e o vandalismo. Foto: Divulgação/Efica

Como um grande diferencial do restauro, apontado pela presidente da Entidade, está a instalação de 56 placas fotovoltaicas, que irão gerar energia limpa e sustentável para todo o complexo da Estação da Cultura. Esse investimento vai gerar uma economia de 98% para todos os prédios. Segundo a Entidade, as placas ficarão no telhado da plataforma, local onde tem a maior incidência de luz solar, de acordo com estudo realizado. “Como na terceira etapa, a gente está sempre preocupado com a sustentabilidade da estrutura e do meio ambiente”, fala Clarice. Em benefício da comunidade, o restauro foi comemorado entre as integrantes do grupo que desde 2006 realizam esse trabalho na Estação. “Quando demos a notícia para o grupo geral foi uma vibração muito grande, uma alegria muito grande, mais um sonho que nós estamos realizando”, relata a presidente.

Segundo ela, no momento o foco é realizar a obra da 4ª etapa, porém, quando estiver concluída, a expectativa é continuar o restauro no complexo da Estação. O primeiro prédio a ser restaurado foi o principal, inaugurado em 2006; em 2007 foi realizado o paisagismo do local; em 2009 foi inaugurado o prédio dos Correios e Telégrafos, e então a Subestação e o antigo restaurante que hoje é o Espaço Cultural Braskem.

A obra da Casa do Chefe da Estação tem duração prevista de seis meses e através da Lei de Incentivo à Cultura terá um investimento da Braskem de R$ 674.669,95, além de uma contrapartida de 12,72%, pouco mais de R$ 85 mil, da Administração Municipal. O projeto de Lei para essa contrapartida estava na pauta de votações da Câmara de Vereadores na noite dessa quinta-feira, 14.

Deixe seu comentário