Dados do laboratório especializado em segurança digital da PSafe, startup que desenvolve aplicativos para telefones celulares, revelam que nos últimos dez dias, 2 milhões de usuários no Brasil receberam mensagens falsas usando nome de empresas e marcas. além de prometerem informações sobre a pandemia da Covid-19, distribuição de álcool em gel, serviços de assinatura grátis, ou “auxílio cidadão coronavírus”.

Foram detectados 19 golpes e seis aplicativos que utilizam a pandemia e o período de quarentena como iscas para atrair pessoas. As correntes possuem características semelhantes: prometem um suposto benefício e direcionam o usuário a acessar o link. No  caso mais recente, alguns textos mencionam testes para saber se o usuário está com o coronavírus.

A empresa acredita no aumento do número de ataques e de vítimas nos próximos dias. Por isso é preciso estar atento. Veja dicas de como se proteger:

O  PSafe indica aos usuários alguns métodos para evitar ataques pelo WhatsApp. É preciso desconfiar de mensagens sensacionalistas ou que oferecem brindes, além de buscar fontes oficiais, como o Ministério da Saúde, e jornais e sites confiáveis que possam confirmar uma informação.

O Ministério da Saúde conta com o WhatsApp (61) 99289-4640 para desmentir as fake news enviadas por cidadãos. A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou um bot (em inglês) no WhatsApp, na última sexta-feira (20), para esclarecer dúvidas de usuários por meio de respostas automatizadas, como métodos de prevenção, mitos e verdades, e sintomas do novo coronavírus.

O laboratório também disponibiliza um serviço de checagem de links pelo endereço (psafe.com/dfndr-lab/pt-br/?utm_source=blog&utm_content=pandemia), que sinaliza em poucos segundos se uma página pode oferecer ameaça. Também é importante manter um software antivírus instalado em seu celular com Android ou iPhone (iOS).

 

 

 

 

Deixe seu comentário