incêndio, Maratá, empresa, carvão, fogo, destruição, Bombeiros
Incêndio na madrugada desse sábado destruiu o depósito e dois caminhões da empresa Máxi Maratá

O fogo queimou dois caminhões, estoque de carvão e parte da distribuidora

Um incêndio de grande proporção atingiu a empresa de distribuição de carvão Máxi Maratá, na localidade de Esperança, em Maratá. O fogo começou por volta das 2h15min da madrugada d

O prejuízo só não foi maior graças à ação rápida de Carlos e dos vizinhos. Fotos: reprodução WhatsApp

e sábado, 2, e consumiu o depósito do local, de propriedade da família Escher, destruindo todo o estoque de carvão da empresa e dois caminhões baús que estavam no galpão. Graças à ação de vizinhos e dos bombeiros, a situação foi controlada e o prejuízo não se tornou ainda maior. Agora, com o apoio das comunidades do entorno, a família trabalha na recuperação dos negócios.

Os Bombeiros de Montenegro foram acionados às 2h35min para controlar as chamas e trabalharam no local até às 9h. Ninguém ficou ferido. A Brigada Militar de Maratá também atuou na ocorrência. A causa do incêndio ainda é desconhecida. De acordo com Alexandre Escher, um dos proprietários da empresa, a atuação dos vizinhos foi de extrema importância para controlar o fogo até a chegada dos bombeiros. “Eles vieram com tratores e puxaram água do açude pra controlar a situação. Tinha mais de 30 pessoas ajudando”, detalha.

A empresa construída há 40 anos pelo pai de Alexandre não possui seguro. O irmão dele, Carlos Escher, foi avisado sobre o incêndio por um vizinho da empresa e chegou ao local em tempo de salvar máquinas utilizadas para embalar o material e um trator. “A gente fica abalado, mas de cabeça erguida. Enquanto tivermos saúde vamos continuar trabalhando para nos recuperarmos”, diz Alexandre.

O momento de perdas materiais para a família Escher revelou a solidariedade entre os moradores da localidade, que além de auxiliar no dia do sinistro se dispuseram a ajudar de outra forma. “Nossa empresa é séria e comprometida com a comunidade, como prova disso temos o apoio de outros carvoeiros que nos disponibilizaram carvão para que não haja atraso em nossa distribuição”, conta Alexandre. “Muito obrigado a todos que nos ajudaram. Vamos seguir trabalhando e iremos nos recuperar”, conclui.

Deixe seu comentário