É verdade? Espaço checa informações e alerta leitor sobre falsas notícias

O Jornal Ibiá criou a editoria “É verdade?”, no portal www.jornalibia.com.br. O espaço será usado para checar notícias que circulam nas redes sociais. O objetivo é desmistificar as chamadas “fake news” (notícias falsas). O título da editoria remete a uma pergunta justamente porque as matérias publicadas responderão se a informação que circula nas redes é verdadeira ou não. A criação desse espaço aconteceu devido ao grande número de informações desmentidas desde a criação do portal, em fevereiro desse ano.

Para a diretora do Ibiá, Maria Luiza Szulczewski (Lica), o jornal está cumprindo seu papel de esclarecer a população. “Tem-se estatísticas de que muitas das notícias compartilhadas nas redes não são reais. Nossa função é essa. Ajudar a desmentir essas informações que circulam tanto no Facebook quanto no WhatsApp”.

Um estudo, realizado pela agência Advice Comunicação Corporativa, indicou que 78% dos brasileiros se informam pelas redes sociais. Destes, 42% admitem já ter compartilhado notícias falsas e só 39% checam com frequência as informações antes de difundi-las. Hoje, já existem sites especializados em criar e distribuir notícias falsas, para promover campanhas ou gerar falsas expectativas na população.

Não espalhe notícias falsas
Além de ser um desserviço, quem compartilha notícias falsas pode ser criminalizado por calúnia, difamação e injúria, por exemplo. Isso porque, muitas vezes, o compartilhamento vem seguido de citação a nomes de pessoas ou entidades reconhecidas, como forma de “validar” o boato.

O ideal, ao se deparar com notícias que soam suspeitas, é verificar se aquela informação já foi publicada em algum veículo de comunicação reconhecido. “Quem quiser, pode mandar a informação pra gente, que nós corremos atrás e verificamos se aquilo é verdade ou não”, diz Lica.
É possível entrar em contato com nossa equipe de redação pelo WhatsApp 9-9644-1676, pelo email redação@jornalibia.com.br, ou pelas nossas redes sociais facebook/jornalibia, twitter: @diarioibia e instagram/jornalibia.

Saiba identificar notícias falsas
1. Cheque a fonte da fonte: Muitos sites republicam notas que saíram em outros locais, principalmente quando o idioma é diferente. Dois cenários são possíveis aqui: um erro de tradução que pode originar o sentido da notícia ou a própria nota original ser uma fake news.
2. Conheça o site que está visualizando: Muitos sites e perfis nas redes sociais têm como objetivo a propagação de notícias falsas. O ideal é sempre optar por portais de notícias já conhecidos, que tenham credibilidade, como um veículo de comunicação, por exemplo.
3. Evite sites conhecidos por sensacionalismo: Essas páginas, mesmo que legitimamente tidas como empresas ou jornais, normalmente recorrem ao sensacionalismo em primeiro lugar e deixam a verificação para depois.
4. Leia a matéria completa, não apenas sua chamada: Em agosto de 2016, a revista Forbes apontou que apenas 59% dos links compartilhados em redes sociais são lidos na íntegra.
5. Preste atenção à URL: Alguns sites mal-intencionados possuem nomes semelhantes a grandes sites como G1, Exame e Época. Por isso, ao clicar na notícia, confira a URL principal do site e certifique-se de que é a mesma do site oficial.
6. Cheque outras notícias do mesmo site: Caso tenha muita incidência de notícias falsas, desconsidere seu conteúdo.
7. Cheque por erros de formatação ou ortografia: Erros pequenos são comuns mesmo nas publicações mais relevantes, mas quando erros grotescos são o padrão de um site, ou seu layout não inspira confiança, é bastante possível que seja fake news.
8. Pesquise no Google: Apenas uma página falando sobre o assunto? Ou eles deram um grande furo de notícia ou estão apenas a compartilhar boatos.
9. Confira a data de publicação dos posts: Apesar de importante, muitas pessoas se deixam levar e compartilham uma notícia velha como atual.

Deixe seu comentário