Bombeiros voluntários trabalhavam desde sábado.

ACIDENTE. A vítima de afogamento pescava com o filho quando passou mal e caiu na água

O corpo de Paulo dos Santos Vargas, de 40 anos, foi localizado por volta das 9h40min dessa segunda-feira, 4, nas águas do arroio Forromeco, no município de Bom Princípio, cerca de dois quilômetros do local onde desapareceu na tarde de sexta-feira, dia 1º. Uma força-tarefa composta por Bombeiros Voluntários de São Sebastião do Caí, Bom Princípio, Feliz, Carlos Barbosa e Garibaldi atuaram nas buscas, que duraram quatro dias. A vítima pescava com o filho, de 10 anos de idade, quando desmaiou e caiu no arroio.

Segundo informações dos Bombeiros Voluntários de Bom Princípio, Paulo estava com o filho na localidade de Piedade, próximo de uma ponte na divisa com São Vendelino. Em seu relato para os bombeiros, o garoto disse que o pai passou mal e desmaiou, deslizando até a água. O menino conseguiu pedir socorro, mas já era tarde para salvar Paulo. As buscas começaram ainda no dia 1º e foram mantidas ao longo do final de semana, mas o corpo só foi encontrado na manhã de ontem. “O resgate foi difícil porque a água estava forte e muito escura. O caminho do local onde ele caiu até o Balneário de Bom Princípio foi feito seis vezes”, conta Paulo Portinho, comandante dos Bombeiros Voluntários de Bom Princípio.

Paulo dos Santos Vargas

Conforme o comandante, a trégua da chuva na madrugada do domingo fez o nível do arroio baixar, o que facilitou o encontro do corpo nessa segunda. “Ele já estava começando a boiar”, acrescenta.

Paulo era natural de São Paulo das Missões, mas morava em Bom Princípio há 17 anos, desde que arrumou trabalho em uma empresa de cerâmicas na região. Ele deixa sete irmãos, um enteado de 18 anos, o filho de 10, e a esposa Neli Assmann, com quem vivia há 13 anos. O corpo será cremado às 10h desta terça-feira, 5, no crematório de Caxias do Sul.

A família mora no Morro do Tico-Tico, próximo ao local da fatalidade. A irmã caçula da vítima, Martina Vargas, 33, relata que Paulo adorava pescar e sabia nadar muito bem. Mas o fato de ter desmaiado antes de cair na água impediu que pudesse se salvar. “Ele disse para o filho que não estava se sentindo bem e se desmaiasse era para esperar, que logo voltaria a acordar. Só que quando ele desmaiou começou a escorregar. Era um local de difícil acesso. O menino começou a gritar por socorro até que apareceu um senhor pra ajudar”, detalha.

A retirada da própria criança do local já foi complicada. “Ele estava mais acima do lugar onde o meu irmão estava pescando, mesmo assim, tiveram que jogar uma corda pra que pudesse sair de lá”, acrescenta Martina. Segundo ela, Paulo havia entrado em férias no início daquela semana, e como de costume, saiu para aproveitar o dia com o filho menor.

O pescador não possuía problemas graves de saúde. Mas no mês de maio passou por uma cirurgia na coluna. Como era sensível à dor, a irmã acredita que a posição desconfortável em que ele se encontrava durante a pescaria possa ter causado o desmaio. Consternada, a família lamenta a perda. Paulo era evangélico e tido como um homem de muita fé. “Meu irmão era uma pessoa incrível, estava sempre disposto a ajudar os outros. Ele era meu braço direito. Não era apegado a bens materiais”, conta Martina sobre o irmão.

Bombeiro orienta sobre pescaria
O comandante dos Bombeiros Voluntários de Bom Princípio, Paulo Portinho, orienta a população em geral para que, quando forem pescar, procurem locais com fácil acesso, o que facilita o resgate em caso de emergências. Além disso, deve-se procurar áreas com movimentação de pessoas, avisar a família sobre onde está indo e nunca ir somente com uma criança. “A presença de outro adulto é fundamental. Nesse caso, o garoto já estava quase se jogando na água pra tentar ajudar o pai”, conta o bombeiro.

Deixe seu comentário