O corpo estava a 2,5 metros de profundidade e a cerca de três metros do local de onde Marco Aurélio submergiu

GESTO HERÓICO. Mesmo sem saber nadar, padrasto se jogou nas águas do Rio Caí para prevenir tragédia com crianças

O primeiro caso de afogamento com vítima fatal registrado este ano na região ocorreu nas águas do Rio Caí, em Capela de Santana, nesta segunda-feira, 13. Marco Aurélio Gomes da Silva, de 32 anos, perdeu a vida ao evitar que seus enteados acabassem se afogando. O corpo do homem foi localizado por volta das 9h10min dessa terça-feira, 14.

Marco Aurélio Gomes da Silva faleceu aos 32 anos

A tarde quente de segunda-feira inspirou a Marco e a esposa Daiana Cristina Flores, 34 anos, a dar um passeio com as crianças de 11 e 12 anos de idade até as margens do Rio Caí. Além deles, amigos do casal também se deslocaram ao local, em busca de distração. Mas o que era para ser uma experiência agradável acabou se tornando um momento de desespero.

Segundo Daiana, ao chegarem próximo ao rio, as crianças correram para a água e o marido entrou para retirá-las de lá. Os pequenos foram salvos antes que algo ruim acontecesse, mas Marco acabou se submergindo.

O Corpo de Bombeiros de Portão deu início às buscas logo após o afogamento. À noite o trabalho foi suspenso. A procura foi retomada na manhã de ontem, 14, com o apoio de mergulhadores da Companhia Especial de Busca e Salvamento, de Porto Alegre, que logo tiveram êxito na procura.

De acordo com o soldado Cássio Luiz Ferrari Filho, mergulhador da Companhia, o corpo estava a 2,5 metros de profundidade e a cerca de três metros do local de onde Marco afundou. O mergulho, que resultou no encontro do cadáver, durou cerca de seis minutos. A presença de galhos na água e a visibilidade média foram alguns dos obstáculos enfrentados pelos bombeiros durante as buscas.

Marco era natural de Montenegro, mas morava  na Estrada da Barragem em Capela de Santana e trabalhava no curtume de Costa da Serra. Alex Gomes, 27, irmão mais novo da vítima afirma que Marco Aurélio era querido por todos e que fará grande falta para a família. “Era um guri querido por todos. É um momento triste pra todos nós”, desabafa.

Até o fechamento desta reportagem, a família não havia definido horários para velório e sepultamento.

Mãe perde terceiro dos oito filhos
Dona Jandira Gomes da Silva, 59 anos, mãe de Marco Aurélio Gomes da Silva, diz que o filho não sabia nadar. “Nunca deixei meus filhos irem para a beira d’água”, diz ela, que deu a luz a oito filhos. Tomada pela emoção de ver o corpo de Marco sendo retirado do rio, Jandira desabafa sobre suas perdas.

Ela já passou pelo pior momento que uma mãe pode enfrentar, a morte de um filho. E essa não é a primeira vez. Em fevereiro de 2011 Jandira perdeu uma filha de 29 anos. A primeira experiência de perda de um filho, ainda bebê, ocorreu na juventude. E agora, mais um ano começa com uma notícia triste para a família.

Deixe seu comentário