A vítima foi alvejada com 20 disparos de arma de fogo. As marcas ficaram nas portas, janelas e eletrodomésticos da casa/ Foto: reprodução
Rogério Giovani de Oliveira (Zé Lula)

4º homicídio em triunfo. Vítima foi alvejada com cerca de 20 tiros dentro da própria casa

Rogério Giovani de Oliveira, de 38 anos, conhecido como Zé Lula, foi assassinado por volta das 20h dessa quinta-feira, 13, na localidade de Baixadão, em Coxilha Velha em Triunfo. Segundo a polícia civil, existem indícios de que o crime tenha ligação com o tráfico de drogas. A vítima possui antecedentes por tráfico e roubos. Em 2016, Zé foi atingido por disparos de arma de fogo dentro de um estabelecimento comercial, mas conseguiu sobreviver. Já desta vez, não houve tempo para socorro. Essa é a 4ª morte violenta registrada na cidade somente em 2020.

Conforme o delegado Lúcio Melo, titular da Delegacia de Polícia de Triunfo, os autores chegaram ao local do crime em um veículo preto que, logo após o assassinato, foi encontrado carbonizado. Os indivíduos invadiram a residência da família e dispararam mais de 20 vezes contra a vítima. Para se proteger, a esposa e os três filhos de Zé Lula correram para se esconder em um dos quartos da casa. A polícia civil trabalha para elucidar o caso. Até essa segunda-feira, 17, não havia novidades obre a autoria do homicídio.

Há quatro anos, Zé Lula passou por uma tentativa de homicídio. Ele cumpria pena no regime semiaberto quando, em um final de semana, foi a um supermercado e lá encontrou sua ex-companheira com o, na época, novo parceiro. Um desentendimento teria levado o homem a atirar em Zé, dentro do estabelecimento. A vítima foi internada e recuperou-se dos ferimentos. Já na semana passada, a gravidade das lesões não deu chances para que Rogério Giovani sobrevivesse.

Triunfo tem média de uma morte a cada dois meses

O assassinato de Rogério Giovani de Oliveira eleva para quatro o número de homicídios dolosos registrados em Triunfo desde o início deste ano. No dia 9 de fevereiro, João Batista Botelho, de 47 anos, foi alvejado dentro do Bar da Jaque, na localidade de Vendinha (Vila do Peninha, divisa entre Triunfo e Montenegro).

A segunda morte ocorreu no dia 20 de março. André Fagundes, de 41 anos, conhecido como Alemão, foi morto na Vila Tieta, interior de Triunfo. O homem chegou a ser conduzido ao Hospital Montenegro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Jean Peterson Martins Quincozes, de 22 anos, foi a terceira vítima assassinada em Triunfo. O crime ocorreu no dia 19 de abril na frente de um bar, na localidade da Ponte Seca. Pelo menos 10 disparos de arma de fogo foram efetuados contra ele. Em comum, além da grande quantidade de tiros, os crimes têm a suspeita da ligação das vítimas com o mercado do tráfico de drogas.

90% dos homicídios de 2019 foram elucidados pela PC de Triunfo
Em 2019, Triunfo registrou 15 homicídios. O número chama à atenção por tratar-se de um município de médio porte, com pouco mais de 29.500, segundo o IBGE. Contudo, o trabalho de repressão ao crime organizado, feito pela polícia civil local, também se destaca.
Até março deste ano, a Delegacia de Polícia Civil de Triunfo esclareceu 92% dos casos ocorridos no ano passado e segue trabalhando para atingir a marca de 100% de elucidações.

O delegado Lúcio Melo avalia positivamente o trabalho realizado por sua equipe de policiais. “Certamente a repressão qualificada, com diversas prisões preventivas decretadas, inibe o cometimento de novos delitos, tendo em vista que a impunidade é um fator de estímulo para os criminosos.Esses números demonstram que a equipe que coordeno em Triunfo é extremamente qualificada e eficiente na apuração dos fatos e elucidação dos delitos”.

Deixe seu comentário