Violência doméstica, Brigada Militar
Mulher estava separada do ex desde o começo do ano passado

Um homem de 59 anos foi preso em flagrante pela Brigada Militar, ontem à tarde, na rua Buarque de Macedo, no bairro Centro, por violência doméstica. O acusado deu um soco no rosto e um tapa na perna direita da ex-mulher, dentro do escritório de um ponto comercial que ela administra.

A vítima acredita que a intenção do ex-marido era matá-la, já que ele pegou uma faca em uma cozinha existente ao lado do escritório. Para proteger a sua identidade, o Ibiá não publica o nome dela e nem o do agressor, que será encaminhado ao sistema prisional.

A mulher acabou salva pelo filho do casal, de 18 anos, que conseguiu imobilizar o próprio pai graças ao conhecimento de MMA que adquiriu nos dois anos em que praticou o esporte em uma academia. Após, a BM foi chamada e fez a detenção do acusado.

O casal manteve uma relação por cerca de 20 anos, mas desde janeiro do ano passado estava separado. Entretanto, ele não aceitava o fim da união e, desde então, vinha fazendo ameaças pessoalmente e por telefone. Contra ele, havia queixas da vítima de ameaça e perturbação do sossego. Mesmo com medidas protetivas asseguradas, a mulher continuava sendo ameaçada pelo ex-marido, que residia atualmente em Soledade.

Violência doméstica, Brigada Militar
Roxo na perna evidencia a agressão sofrida pela mulher nesta quarta

Conforme a comerciante, as ameaças começaram logo depois da separação do casal, já que ele não aceitava o fim, tanto que ele a importunava não só com ligações para o seu telefone, mas também por mensagens no WhatsApp. Ela diz ter certeza de que mesmo o ex-marido não morando mais na mesma cidade, vinha sendo observada e vigiada, pois ele mandava mensagens dando conta de onde ela estava e o que fazia com ameaças de que retornaria para matá-la.

“Ele é alcoólatra. Chega um tempo em que a gente não aceita mais, mas quando éramos casados, ele nunca me bateu”, acrescenta a vítima. A mulher confirma que o ex sempre foi muito ciumento, mas que no momento não mantinha relação com nenhum outro homem. Entretanto, após o fim do casamento, chegou a se afeiçoar a outra pessoa.

“Ele dizia aquelas coisas de ‘se não vai ser minha, não vai ser de mais nenhum outro homem e de mais ninguém’”, pontua. A mulher lembra que o ex-marido ameaçou de morte o próprio filho.

O temor dela é que ele não fique preso por muito tempo e volte a persegui-la. “A lei brasileira é muito suja”, finaliza. A ocorrência foi atendida pela guarnição composta pelo soldado Dannenberg e pelo sargento Bettega, do Pelotão de Operações Especiais (POE) do 5° BPM.

Deixe seu comentário