O crime ocorreu quando a vítima aguardava o ônibus para retornar para São Leopoldo, cidade onde residia

Crime. A vítima foi surpreendida e alvejada próximo à parada do coletivo

A vítima identificada como Carlos Alberto Bittencourt, de 48 anos, estava em uma parada de ônibus localizada em uma via paralela a RSC-287, próxima ao Parque Centenário em Montenegro, quando foi acertada por disparos de arma de fogo. Segundo relatos de uma testemunha, que não quis ser identificada, um homem desceu de um veículo próximo ao ponto de embarque e foi ao encontro de Carlos. Este, ao ver o indivíduo se aproximar saiu correndo, mas poucos metros depois foi atingido pelos disparos. O fato ocorreu por volta das 17h45min, não houve tempo para socorro e Carlos morreu no local.

Foto: Reprodução Facebook

Um taxista relata que ouviu três disparos e que saiu do ponto de táxi para ver o que havia acontecido. Da esquina onde trabalha, o motorista conseguiu ver o corpo da vítima, mas não viu o responsável pela autoria do crime. Apesar de haver grande movimentação na hora do assassinato, nenhum popular quis se pronunciar sobre o fato.Uma viatura do Pelotão Ambiental da Brigada Militar de Montenegro passava pelo local e parou para resguardar a área até a chegada da BM e da Polícia Civil.

Carlos Alberto vestia o uniforme de trabalho quando foi morto. A vítima era funcionário de uma companhia de energia elétrica. Colegas fizeram o reconhecimento do corpo e relataram que ele morava em São Leopoldo, mas todos os dias vinha trabalhar em Montenegro e esperava o transporte coletivo no mesmo ponto de embarque onde foi alvejado.

A emoção tomou conta de Gabriel Capes Filho, colega e amigo pessoal de Carlos. Sem acreditar na cena que presenciou, ele desabafou. “A gente era colega, o cara era uma pessoa sensacional. Desconheço que ele tenha alguma rixa, ele nunca foi de confusão. Era um exemplo pra todos na empresa. A gente convivia, jogávamos bola, saíamos pra conversar, éramos amigos fora da empresa”, contou. Conforme o amigo, Carlos estava separado da esposa há pouco tempo. Ele era pai de três filhos e não possuía inimigos.

O corpo passará por perícia. Imagens das câmeras de monitoramento de empresas próximas ao local onde ocorreu o crime poderão auxiliar a Polícia Civil na investigação do homicídio. Essa é a segunda morte registrada, este ano, como homicídio doloso, quando há a intenção de matar, em Montenegro.

Ainda não há informações sobre a motivação do assassinato.

Deixe seu comentário