Empresa tem unidades no Paraná, em São Paulo e, aqui no Estado, em Porto Alegre. FOTO: HIPERMIX/DIVULGAÇÃO

Primeiro resultado do Polo da Química, empresa deve receber incentivos para instalação

O prefeito Kadu Müller protocolou na Câmara de Vereadores o projeto de lei que concede incentivos para instalação da empresa Hipermix no Distrito Industrial do Município. Primeiro resultado concreto do projeto do Polo da Química de Montenegro, o investimento de cerca de R$ 102 milhões foi anunciado em fevereiro. A expectativa para início das operações é nos primeiros meses de 2021, com o empreendimento produzindo 100 mil toneladas de cimento por ano. Há tratativas para uma ampliação já em 2023.

A relação de incentivos à empresa prevê isenção de IPTU por cinco anos; redução da alíquota de ISSQN para 3%; e execução de serviços de terraplenagem por conta da Prefeitura. Em contrapartida, a Hipermix dará início a projeto de apoio institucional a clube de futebol infantil da cidade; vai fornecer o equivalente a R$ 40 mil em concreto para obras do Município; e, o mais importante, se compromete a gerar 420 novos empregos em Montenegro com a instalação.

Segundo a secretária municipal de Indústria e Comércio, Cristiane Gehrke, o montante se refere a vagas diretas, dentro da fábrica – 30 no início das operações, com expectativa de 120 com a posterior ampliação -, e indiretas, envolvendo também a construção do empreendimento. Ainda não há informações sobre processos seletivos.

De São Paulo, a Hipermix chega em Montenegro em parceria com a Compañia Industrializadora de Minerales (Cimsa), que é do Uruguai. Esta fornecerá parte da matéria-prima da unidade montenegrina. Segundo os investidores, o Município foi escolhido por seu potencial logístico de recebimento do material uruguaio e também de distribuição do produto final – cimento e argamassa – com foco no mercado da Região Sul.

O projeto com os incentivos vai para avaliação jurídica do Legislativo Municipal. Após, precisa passar pela aprovação da Comissão Geral de Pareceres para, então, ser votado pelos vereadores em plenário. Condicionada ao dispositivo legal, a obra de construção da fábrica ainda não tem dada para começar, mas, dado o início, deve ser entregue em até dez meses.

Novos negócios no horizonte
A área montenegrina destinada ao Polo da Química tem um total de 700 hectares que pertencem ao governo estadual. Concebido em parceria com o Sindicato das Indústrias Químicas gaúchas, o projeto aproveita o complexo formado pelo Distrito Industrial de Montenegro, o Distrito Industrial de Triunfo, o Polo Petroquímico, o Terminal Santa Clara e o Sitel em um pacote para incentivar a instalação de empreendimentos de 3ª geração da área química em Montenegro.

Embora seja a Hipermix o primeiro resultado concreto da iniciativa, conversas para a vinda de novos empreendimentos vêm acontecendo desde o ano passado. No início desta semana, o prefeito Kadu Müller e a secretária Cristiane Gehrke apresentaram o espaço para duas novas interessadas que já tem sede no Rio Grande do Sul. O encontro, em Porto Alegre, foi com a Sulboro, empresa da área química com produto a base de boro voltado ao setor agrícola; e com a Pinussul, do ramo de madeiras.

Deixe seu comentário