Legenda: Valor do pedágio ficou 40,53% abaixo do teto estipulado no edital

Pedágio de R$ 4,30. Contrato deve ser assinado em 9 de janeiro e atinge quatro rodovias federais.

O Grupo CCR venceu nesta quinta-feira, 1º, o leilão da Rodovia de Integração do Sul (RIS). O pacote inclui a concessão da BR-386, no trecho que compreende Canoas até Carazinho, passando por Montenegro, além das BRs 101, 290 (no trecho da Freeway, da Capital a Osório) e a 448 (Rodovia do Parque). A proposta vencedora é de R$ 4,30 como tarifa de pedágio.

Os trechos que serão concedidos totalizam 473,4 km, sendo 87,9 km na BR-101, 98,1 km, na BR-290, 21,6 km na BR-448 e 265,8 km na BR-386. O edital prevê investimentos de R$ 7,8 bilhões e R$ 5,6 bilhões em manutenção e operação pelo período de 30 anos.

O contrato com a empresa vencedora será assinado em 9 de janeiro, já, portanto, dentro do período de governo de Jair Bolsonaro. A partir daí, a concessionária terá um mês para iniciar a recuperação das estradas e a cobrança de pedágio. Inicialmente, essa cobrança ocorrerá apenas nas praças da freeway, em Gravataí e Santo Antônio da Patrulha. A cobrança nos demais pontos — quatro ao longo do trecho concedido da BR-386 e um na BR-101 — está prevista para março de 2020.

Foram cinco propostas abertas publicamente na sede da Bolsa de Valores (B3), em São Paulo. O Grupo CCR apresentou tarifa 40,53% abaixo do teto estipulado no edital, cujo valor era de R$ 7,24. Participaram do leilão, ainda, EcoRodovias, que ofereceu pedágio de R$ 4,56; Sacyr (R$ 5,25); Infraestrutura Brasil Holding (R$ 4,43) e Consórcio Integra Sul (R$ 5,27). A concessão abrange 32 municípios do RS.

Considerando as informações previstas no edital da Agência Nacional de Transportes Terrestres, já para 2019 há obras previstas. Os trabalhos iniciais contemplam intervenções emergenciais, como tapa-buracos e reparos no acostamento, melhorias na sinalização vertical (placas) e horizontal (pinturas na pista) e colocação de taxas refletivas em 100% do trecho concedido. Já para 2020 e 2023, há previsão de recuperação de todas as rodovias, incluindo recapeamento de trechos e reforma estrutural de passarelas e viadutos. Entre 2021 e 2030, a previsão é da BR-386, entre Lajeado a Carazinho. O edital prevê, ainda, de 2031 a 2036, a adequação da duplicação da BR-386 de Canoas até Tabaí e o alargamento da Freeway, de Gravataí a Osório.

Deixe seu comentário