Grêmio tem apenas uma dúvida para o primeiro Gre-Nal da história da Libertadores. Foto: Lucas Uebel / divulgação Grêmio

É hoje. Principais clubes do Estado duelam pela primeira vez no torneio continental

Edenílson está confirmado no meio, mas escalação colorada ainda é um mistério. Foto: Ricardo Duarte / divulgação Inter

O dia 12 de março de 2020 ficará para sempre marcado na história do futebol gaúcho. Nesta data, ocorre, pela primeira vez na Libertadores da América, um clássico Gre-Nal. Os maiores clubes do Estado frente a frente pela principal competição do continente. Em grande momento, Grêmio e Inter medem forças nesta quinta-feira, às 21h, na Arena, pela segunda rodada do grupo E da Libertadores. A América do Sul vai parar para acompanhar o maior clássico do Brasil.

Com estilos ofensivos, mas com defesas em grande forma, Grêmio e Inter prometem protagonizar um dos melhores clássicos dos últimos anos. As duas equipes venceram bem na rodada de estreia e chegam para o Gre-Nal 424 com o moral elevado. Nos últimos cinco jogos da temporada, o tricolor sofreu apenas um gol. O colorado disputou cinco partidas na atual Libertadores e ainda não foi vazado.

Os números podem indicar um empate sem gols hoje à noite, mas as propostas de jogo de Renato Portaluppi e Eduardo Coudet mostram o contrário. Os dois treinadores são adeptos ao futebol ofensivo, montam suas equipes para serem protagonistas, mas sem descuidar da defesa. A tendência é de um clássico aberto, com muitas oportunidades para os dois lados. Quem vencer, termina a rodada isolado na liderança do grupo E.

Leonardo Alex confia em uma vitória tricolor hoje. Foto: arquivo pessoal

O torcedor gremista Leonardo Alex, que estará na Arena esta noite, projeta um duelo de estratégias dos dois treinadores, mas não acredita em muitos gols. “Esse clássico está se desenhando para ser o melhor Gre-Nal dos últimos tempos. Certamente, vai ser um jogo que exigirá muita estratégia dos técnicos. Ninguém quer correr o risco de perder esse Gre-Nal histórico”, analisa.

Mesmo crendo que cada jogo tem sua história, Leonardo afirma que o bom trabalho realizado pelo Grêmio nas últimas temporadas pode fazer a diferença neste clássico. “Acredito na vitória do tricolor por 2 a 0, perpetuando a boa fase que o clube vem vivendo nos últimos anos. Pelos últimos jogos, imagino que o Grêmio vai jogar em cima do Bruno Fuchs, que é jovem e vem demonstrando ser o elo mais fraco da defesa do Inter”, projeta.

O colorado Felipe Lothammer de Oliveira espera um duelo muito equilibrado, mas confia que a postura do Inter pode ser fundamental para conquistar a vitória. “Vejo os dois times em situações bem parecidas. Renato é o treinador mais longevo do futebol brasileiro, conhece bem o elenco e tem um time bem treinado. O Inter está em um início de trabalho, mas já vem tendo boas atuações, o grupo entendeu o novo esquema e o novo estilo de jogo”, salienta.

Felipe Lothammer aposta na vitória colorada. Foto: arquivo pessoal

“Estou muito confiante, a postura do Inter nos últimos clássicos na Arena era uma postura medrosa, jogava para não perder. Com o Coudet, acredito que isso vai ser diferente, vamos atacar, jogar pra cima. Precisamos voltar a vencer lá dentro”, declara.

O clássico e seus mistérios
Uma das características presentes em praticamente todos os Gre-Nais é o mistério. No confronto histórico desta quinta, não é diferente. Do lado gremista, a principal dúvida está na zaga. Recuperado de lesão, Kannemann pode voltar ao time hoje. Porém, como não atua há mais de 40 dias, o experiente David Braz pode ser mantido ao lado de Geromel.

A provável escalação do Grêmio para o jogo desta noite tem Vanderlei; Victor Ferraz, Geromel, David Braz (Kannemann) e Caio Henrique; Lucas Silva, Matheus Henrique, Maicon, Alisson e Everton; Diego Souza.

No lado vermelho, são pelo menos três dúvidas na escalação. Recém-contratado, Saravia deve assumir a titularidade na lateral-direita, mas a presença de Rodinei não pode ser descartada. Na lateral-esquerda, Moisés está recuperado de lesão e disputa posição com Uendel. Na frente, a dúvida é em relação ao ídolo D’Alessandro. O meia-atacante Thiago Galhardo entrou bem na equipe diante da Universidad Católica e pode ser mantido na equipe. Com isso, D’Ale ficaria como opção no banco de reservas.

Felipe Lothammer aposta que as únicas mudanças na escalação em relação ao time que iniciou o jogo contra a Católica serão nas laterais. “Creio que, do time que atuou na terça-feira passada, Coudet vai mudar apenas os laterais. Saravia é jogador de seleção argentina, não pode ficar de fora. Moisés é o titular da lateral-esquerda e está 100%. D’Alessandro vai ser muito importante neste Gre-Nal, mas acho uma melhor opção para o segundo tempo. Assim, iniciamos a partida com um time mais rápido”, frisa.

O provável time do Inter para o clássico 424 tem Marcelo Lomba; Saravia, Bruno Fuchs, Victor Cuesta e Moisés; Musto, Edenílson, Marcos Guilherme e Boschilia; Thiago Galhardo (D’Alessandro) e Guerrero.

Os Gre-Nais inesquecíveis
Grêmio e Inter possuem uma rivalidade centenária. São inúmeros clássicos históricos, emblemáticos e diversos personagens dos dois lados. O Gre-Nal de hoje será especial e ficará marcado na memória dos torcedores. Para os jovens torcedores Leonardo Alex e Felipe Lothammer, os clássicos inesquecíveis são duelos recentes, ambos disputados no palco do duelo desta noite.

O gremista Leonardo lembra com orgulho da goleada de 5 a 0, imposta no Brasileirão de 2015. “Foi o clássico mais emblemático para mim. Além do placar, o fato de golear o principal rival potencializa a vitória”, diz.

O clássico inesquecível para o colorado Felipe é a vitória do Inter na Arena no jogo de ida da final do Campeonato Gaúcho de 2014. “O Inter saiu perdendo por 1 a 0 e conseguiu uma virada incrível no segundo tempo, com dois gols de Rafael Moura”, relembra.

Deixe seu comentário