FOTO: REPRODUÇÃO/INTERNET

Na live feita na manhã desta sexta-feira, 10, Eduardo Leite também anunciou que o governo quer usar dados dos celulares dos gaúchos para localizar e conter aglomerações. Disse que, para isso, está chegando aos termos finais de um acordo com a operadora Vivo, e que está em contato com as demais para colocar a ação em prática.

O governador frisou que não serão acessados dados individuais dos cidadãos; e que tudo será feito em respeito à Lei Geral de Proteção de Dados e ao Marco Civil da Internet.

A ideia é fazer o que já está sendo feito no estado de São Paulo. Pegar as informações das antenas de telefonia para acompanhar o deslocamento populacional. Pela triangulação, essas antenas conseguem localizar o aparelho de telefone da pessoa num raio de 200 metros. A informação de todos os equipamentos geram u “mapa de calor”, em tempo real, onde as autoridades podem ver bairros e localidades com grande movimento.

“É pra podermos, assim, tomar decisões estratégicas no combate à pandemia. Nós vamos acompanhar a mobilidade populacional e identificar situações de aglomerações de pessoas, que segundo as autoridades sanitárias, representam os maiores riscos à contaminação pela Covid-19”, explicou Eduardo Leite. “Para sabermos exatamente onde, como e por quem que a gente tem mais necessidade de estabelecer restrições maiores ou, eventualmente, até algum relaxamento das medidas.”

No estado do Mato Grosso do Sul e na cidade de Recife há monitoramento parecido. Por lá, é uma empresa que usa localização de usuários de aplicativos e fornece os dados anônimos aos governos. Na capital de Pernambuco, inclusive, a informação dos bairros com mais gente nas ruas leva um carro de som da Prefeitura ao local para alertar a população.

Deixe seu comentário