FOTO: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini

Na live desta sexta-feira, 17, Eduardo Leite falou sobre o pedido de alguns municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre para, assim como foi feito no resto do Estado, terem a possibilidade de flexibilizar o funcionamento dos comércios.

Ontem, a Associação dos Municípios do Vale do Caí (Amvarc) emitiu um ofício ao governador pedindo que as cidades do Vale que são Região Metropolitana (Montenegro, Capela de Santana, Portão e São Sebastião do Caí) fossem colocadas como exceções ao decreto estadual.

O governador garantiu que está aberto a ouvir o argumento destes prefeitos, mas salientou que as justificativas terão que ser avaliadas pelos demais municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre. “É uma decisão bem complexa e que vai ser avaliada com profundidade”, colocou. Ele estima que levará alguns dias até que qualquer decisão contrária seja tomada.

A continuidade das restrições às atividades empresariais tinha sido estendida até 30 de abril também na Região Metropolitana da Serra. Mas após receber a manifestação de todos os prefeitos da região que, em unanimidade, pediram para serem liberados da decisão, Eduardo Leite voltou atrás e manteve restrita apenas a região de Porto Alegre. Nela, está o maior número de casos e de óbitos por Covid-19; e é onde também há grande circulação de pessoas entre uma cidade e outra.

No ofício, a Amvarc salienta ao governador que, apesar de serem da Região Metropolitana, Montenegro, Capela de Santana, Portão e São Sebastião do Caí não atendem aos critérios citados. Por isso, mereceriam serem exceção.

Indo contra a determinação do Estado, porém, Montenegro e São Sebastião do Caí já liberaram a abertura do comércio, com algumas restrições, nesta semana. A liberação, segundo as prefeituras, está mantida; em meio a uma discussão jurídica sobre qual determinação tem mais força em uma situação como a atual (a estadual ou a municipal).

Todos os municípios fora da Região Metropolitana de Porto Alegre têm liberdade para fazerem as flexibilizações, desde que seguindo algumas regras recentemente emitidas via portaria da secretaria estadual de Saúde.

Deixe seu comentário